• Marido se suicida e mulher recorre à Justiça para conseguir seu sêmen

    Ela foi pega de surpresa com a notícia do suicídio do marido, mas não desistiu do sonho que tinham de formar uma família

  • "Estou lascada", diz Sabrina Sato sobre cenas quentes do marido na novela

    Duda Nagle estreou na semana passada na novela ‘A Dona do Pedaço’ como o lutador Paixão

  • Ana Maria Braga presenteia Ju Paes com body que conquistou as famosas

    O look chamou a atenção depois que foi usado por Bruna Marquezine e Ana Maria Braga

  • O tempo passa: por onde andam os galãs dos anos 90?

    Que atire a primeira pedra quem não suspirou por Leonardo Vieira, Claudio Heinrich e Rubens Caribé, os gatos das novelas globais do século passado. Como será que eles estão hoje? Leia também •Cena mais esperada de 'A Dona do Pedaço' decepciona o público •Por que a trama de Britney de 'A Dona do Pedaço' é péssima para a comunidade trans? •Ela cresceu! Repórter mirim da Xuxa, Duda Little estreia como "jornalista de verdade"

  • Yahoo Vida e Estilo

    12 seriados e realities brasileiros que deveriam entrar urgentemente na Netflix

    Por Raphael Evangelista (@raphaevanges)Está super na moda assistir séries pelo serviço de streaming da Netflix e maratonar por horas e horas nomes que viraram verdadeiros clássicos, como “Friends”, ‘Stranger Things’, ‘La Casa de Papel’, ‘Dark’ e até coisas mais específicas, como ‘Black Mirror’, ‘Orange Is The New Black’ ou ‘The OA’. Há também uma boa quantidade de material brasileiro surgindo e muita coisa boa deve aparecer nos próximos anos.Já conhece o Instagram do Yahoo Vida e Estilo? Siga a gente!Mas como bons amantes de uma nostalgia, seria ótimo se o serviço oferecesse outras produções que foram sucesso no passado na TV e até este momento ainda não figuram em nenhum outro streaming.Leia tambémAngélica se reúne com colegas de 'Caça-Talentos': 'Que delícia de encontro'Dani Calabresa lembra participação na plateia do 'Altas Horas' há 16 anosMarcos Oliveira, o Beiçola, reclama da crise: ‘Não sei se ainda sirvo para o mercado’Confira algumas das produções brazucas que adoraríamos ver mil vezes na plataforma!

  • Lucas Lucco é criticado após harmonização facial

    O cantor ficou ainda mais em evidência durante sua participação na novela ‘A Dona do Pedaço’ e o público ficou chocado com o "rosto diferente"

  • Mesmo contra Bolsonaro e Maia, Guedes defende nova CPMF para empresários

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu na noite desta terça-feira (20), em São Paulo, a volta de um imposto sobre transações financeiras nos moldes da antiga CPMF como substituto à cobrança tributos sobre a folha de pagamento das empresas. A uma plateia de empresários e executivos de grandes empresas, Guedes disse que prefere "abraçar um imposto horroroso" se, com isso, conseguir desonerar a folha de pagamento. "É o [ponto] controverso [da reforma tributária]. Vamos deixar esse dilema. Querem 20% de encargos trabalhistas e 13 milhões de pessoas sem emprego? Deixa do jeito que está. Eu preferiria não ter de recorrer a isso, mas acho a oneração de folha de pagamento um crime contra brasileiros", afirmou. O ministro da Economia Paulo Guedes participa da reunião de líderes partidários no Senado Pedro Ladeira/Folhapress        Segundo o ministro Guedes, na fala aos empresários, a CPMF funcionou durante quase 13 anos. Para ele, se a alíquota do imposto for pequena, "não machuca". "Quando o Fernando Henrique [Cardoso] lançou esse imposto, todo o mundo apoiou porque arrecada rápido", disse.  "Hoje, um jovem vai chegar e ter o primeiro emprego, saindo da faculdade para trabalhar, 1000 de salário e custa 2000. Precisa reduzir os encargos trabalhistas. Entre um imposto horroroso e a opção pela desoneração da folha, prefiro abraçar o feioso."  Ao falar antes de Guedes, contudo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que também estava no evento, reforçou a oposição à proposta. Maia vem dando declarações públicas de que a CPMF não será aprovada pelos deputados.  "Eu era presidente nacional do DEM em 2007 e nós derrubamos a CPMF. O presidente da República [Jair Bolsonaro] disse que é contra também. Não vamos brigar com ninguém, ele é contra também", afirmou. Guedes e Maia se dizem otimistas quanto à aprovação das reformas previdenciária, tributária e do novo pacto federativo. "Está havendo a coalizão política, mesmo que não explícita e no meio de pedrada e tiroteio, mas todos entendem que tem que mudar a forma de fazer política e estão fazendo isso construtivamente", afirmou o ministro. O evento foi promovido pelo jornal Valor Econômico.