Assunto

Curitiba | Últimas notícias da capital paranaese

  • Folhapress

    Rio e Curitiba retomam vacinação contra a Covid-19; veja programação

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Capitais como Rio de Janeiro, Curitiba e Cuiabá retomaram a vacinação de pessoas da terceira idade com a chegada de novas remessas de imunizantes. Goiânia precisou interromper a imunização por falta de doses, enquanto Manaus ampliou a vacinação para a faixa dos 60 anos. Goiânia encerrou nesta quinta-feira (4) a vacinação de idosos (que estava na faixa dos 77 anos) e aguarda a remessa de mais doses para seguir a campanha. A capital goiana tem cerca de 23 mil doses em estoque, com as 7.400 doses que chegaram nesta semana, e está vacinando idosos acamados com idade igual ou superior a 60 anos, idosos que moram em instituições de longa permanência e profissionais de saúde. No Rio de Janeiro, a campanha chegou a ser interrompida por oito dias por falta de doses, mas foi reiniciada no dia 25 e prossegue. Se as novas remessas prometidas pelo Ministério da Saúde se confirmarem, a cidade pretende imunizar os idosos com 67 anos ou mais até o fim de março. Antes do reajuste no calendário, a ideia era vacinar nesse período todos acima dos 60 anos. Nesta semana, o alvo são idosos a partir dos 79 anos, além das pessoas e profissionais de saúde de 80 anos ou mais que perderam sua data de vacinação. Com o recebimento de mais uma remessa de cerca de 11 mil doses, Curitiba ampliou a campanha de vacinação para idosos entre 81 e 79 anos. A escala de aplicação foi modificada, levando em consideração também o mês de nascimento, para evitar aglomerações, já que a quantidade de moradores por grupos etários aumenta na medida em que idade diminui. Desde esta sexta-feira (5), os pontos de vacinação da cidade passaram a fazer a imunização tanto da primeira dose quanto da segunda dose. Belo Horizonte, que começou a vacinação no fim de fevereiro, passou a imunizar idosos a partir de 80 anos na quarta-feira (3) e não registrou atrasos nas aplicações até aqui. Foram enviadas 51,3 mil doses, sendo 33,5 mil doses da Oxford/Astrazeneca e 17,8 mil da Coronavac. A capital mineira já está aplicando a segunda dose de Coronavac, mas a previsão para quem foi imunizado com a Oxford/AstraZeneca é de que o reforço aconteça em maio. Vitória, que também começou em fevereiro a campanha, está aplicando a primeira dose para idosos com 80 anos ou mais, em postos de saúde, e em acamados ou restritos ao leito, em casa, e a segunda dose de pessoas com 90 anos ou mais e profissionais de saúde que foram vacinados entre 19 de janeiro e 5 de fevereiro. Florianópolis vai começar a vacinar idosos entre 80 e 84 anos nesta sexta-feira (5). Pessoas com mais de 85 anos também podem procurar os locais de imunização em qualquer dia. A aplicação está sendo feita no sistema drive-thru ou em casa, no caso de idosos acamados. Já Porto Alegre ampliou nesta semana a faixa etária de vacinação, incluindo idosos a partir de 79 anos. Segundo a prefeitura, com a última remessa de 21.420 doses da vacina de Oxford, será possível imunizar todos os moradores da cidade dessa faixa de idade. Campo Grande está vacinando o público de 78 e 79 anos (primeira dose), além de vacinar pela segunda vez os idosos com mais de 90 anos. A capital sul-mato-grossense recebeu na última sexta-feira (26) 13.139 doses, para vacinar esse público idoso e também trabalhadores da saúde com mais de 60 anos que atuam em clínicas particulares e farmácias, o que ocorreu na última semana. Já em Cuiabá, a vacinação foi retomada na terça-feira (2), após a cidade receber um lote de 6.410 doses. Não há previsão de quando o estoque acabará, pois isso depende do total de pessoas que fazem o agendamento a cada dia. Estão sendo vacinados trabalhadores da saúde com a segunda dose e nesta quinta (4) começou a aplicação em idosos de 80 a 84 anos. A retomada ocorreu após duas semanas de suspensão por conta da falta de doses. No Distrito Federal, a vacinação contra o novo coronavírus está ocorrendo normalmente. A secretaria da Saúde recebeu 26,2 mil doses da Coronavac na quarta. Metade será reservada para aplicação da segunda dose. Com isso, idosos com 75 anos entraram na lista do grupo prioritário que já pode receber o imunizante. A expectativa é vacinar 9.364 pessoas nessa faixa etária. Até então, as dosas estavam liberadas para pessoas com 76 anos ou mais, profissionais de saúde da rede pública, de hospitais particulares, idosos institucionalizados e indígenas. No total, foram 143.007 pessoas vacinadas até terça, sendo que 52.680 já receberam a segunda dose. Salvador recebeu na quarta 14.980 doses da Coronavac. Com a nova carga, foi possível iniciar nesta quinta a aplicação da primeira dose em idosos com idade igual ou superior a 79 anos, bem como em trabalhadores da área de saúde. No sábado (6) e domingo (4), há a expectativa de ampliar o grupo prioritário para pessoas com idade a partir de 78 anos. Em 16 de fevereiro, a vacinação chegou a ser interrompida na capital baiana por falta do envio de novas doses. Uma semana depois, o plano foi retomado. Em Manaus, que recebeu remessas extras de vacina por conta do colapso do sistema de saúde, a vacinação não foi interrompida por falta de doses. Na última segunda (1) a prefeitura iniciou a imunização dos idosos entre 65 e 69 anos e a estimativa é que, na próxima semana, comecem a ser vacinados também os idosos de 60 a 64 anos. * Como está a vacinação nas capitais SUDESTE - Rio de Janeiro: Cada idade tem dois ou três dias para se vacinar —até dia 6, acima de 78 anos; até dia 13, acima de 75 anos; até dia 20, acima de 72 anos; até dia 27, acima de 69 anos; até dia 31, 68 ou 67 anos. https://prefeitura.rio/noticias/prefeitura-anuncia-calendario-de-vacinacao-ate-o-fim-de-marco-confira-as-datas/ - São Paulo: Começou a vacinação de idosos de 77 a 79 anos na quarta. A imunização está sendo feita em unidades de saúde e pontos de drive-thru. Os locais de aplicação podem ser consultados em https://www.vacinaja.sp.gov.br/ - Belo Horizonte: Começou a vacinação de idosos de 85 anos na quarta e idosos de 84 anos na quinta; começará na segunda (8), para 83 anos; na terça (9), para 82; na quarta-feira (10), para 81 e na quinta (11), para 80 — todos finalizando até o dia 12. https://prefeitura.pbh.gov.br/campanha-de-vacinacao-contra-covid-19 - Vitória: Sendo aplicada a primeira dose em domicílio para pessoas com 80 anos ou mais, acamados, e segunda dose para idosos com 90 anos ou mais e trabalhadores da saúde. www.vitoria.es.gov.br/vacinometro CENTRO-OESTE - Goiânia: Vacinação para idosos em geral (que estava no momento na faixa dos 77 anos) terminou na quinta; cidade aguarda remessa de mais doses. https://www.goiania.go.gov.br/imunizagyn/ - Cuiabá: está vacinando trabalhadores da saúde e idosos acima de 80 anos; dia 11 começa a aplicação da segunda dose em idosos com 85 anos ou mais. https://vacina.cuiaba.mt.gov.br/ - Campo Grande: Vacinou idosos de 79 e 78 anos na quinta e nesta sexta, no Parque Ayrton Senna, no sistema drive-thru. http://www.campogrande.ms.gov.br/cgnoticias/noticias/prefeitura-inaugura-sistema-drive-thru-para-vacinacao-de-idosos-contra-a-covid-19/ NORTE - Manaus: idosos de 65 a 69 anos começaram a ser vacinados dia 1 de março; não há data definida para o início da vacinação dos idosos de 60 a 64 anos e demais grupos. Idosos acima de 70 anos e profissionais de saúde que ainda não se vacinaram podem procurar qualquer posto de vacinação. - Belém: vacinação de idosos de 80 a 82 anos começou na terça e de idosos de 78 e 79 anos nesta sexta (5); idosos acima de 82 anos que ainda não receberam a primeira dose devem procurar qualquer posto de vacinação. http://www.saude.pa.gov.br/vacinometro/ - Porto Velho: Vacinação de idosos a partir de 80 anos iniciada no dia 2 de fevereiro. Sem previsão para cronograma de novos grupos. https://transparencia.portovelho.ro.gov.br/covid19/vacinometrosaude - Boa Vista: não há datas fixas para cada etapa. Na segunda (1º), começaram a ser vacinados os idosos de 75 a 79 anos. Outras estapas serão divulgadas quando mais remessas chegarem.​ SUL - Curitiba: Sexta-feira (5) – 81 anos completos, nascidos entre 1º de janeiro e 30 de junho; sábado (6) – 81 anos completos, nascidos entre 1º de julho e 31 de dezembro; segunda-feira (8) – 80 anos completos, nascidos entre 1º de janeiro e 30 de junho; terça-feira (9) – 80 anos completos, nascidos entre 1º de julho e 31 de dezembro; quarta-feira (10) – 79 anos completos, nascidos entre 1º de janeiro e 30 de junho; quinta-feira (11) – 79 anos completos, nascidos entre 1º de julho e 31 de dezembro. https://www.curitiba.pr.gov.br/noticias/com-novas-doses-curitiba-amplia-vacinacao-a-partir-desta-sexta-para-idosos-entre-81-e-79-anos-veja-o-cronograma/58168 ​ - Florianópolis: 84, 83 e 82 anos, nesta sexta-feira; 81 e 80 anos, no sábado (6). https://datastudio.google.com/reporting/0cc4dda4-9bae-4452-9836-efd2ae73d6d3/page/7FP1B - Porto Alegre: vacinou idosos a partir de 80 anos na quarta e na quinta; sexta (5) e sábado (6), idosos a partir de 79 anos. https://datastudio.google.com/embed/reporting/df0da4e7-787c-423f-bc08-d4c5a8a2ff2e/page/NnVxB NORDESTE - Salvador: idosos com idade igual ou superior a 79 anos começaram a ser vacinados a partir de quinta. No sábado (6) e domingo (7), a expectativa é iniciar vacinação de pessoas a partir de 78 anos. http://www.saude.salvador.ba.gov.br - Fortaleza: Desde o dia 27 de janeiro, idosos acima de 75 anos são vacinados mediante cadastramento prévio. Não há previsão para cronograma de novos grupos https://vacineja.sepog.fortaleza.ce.gov.br/ - Recife: Vacinação de pessoas a partir de 75 anos iniciada no dia 27 de fevereiro. Não há previsão de cronograma para novos grupos. https://conectarecife.recife.pe.gov.br/vacinometro/ - Natal: Vacinação para pessoas com 80 anos ou mais. Outras etapas serão divulgadas conforme novos lotes chegarem à prefeitura. https://rnmaisvacina.lais.ufrn.br/cidadao/#pessoas-cadastradas-info - Aracaju: Os idosos estão sendo vacinados no drive-thru do parque Augusto Franco e nas 40 Unidades Básicas de Saúde da capital, das 8h às 17h. Nesta semana, estão sendo vacinados os idosos entre 85 e 89 anos. Na próxima, será a vez das pessoas entre 83 e 84 anos. https://www.aracaju.se.gov.br/ - Maceió: Teve início na segunda-feira (1°) a vacinação contra a Covid-19 para idosos a partir de 79 anos. A imunização seguirá das 10h às 16h em quatro pontos da cidade. Não há previsão de cronograma para novos grupos. http://www.maceio.al.gov.br/sms/ - João Pessoa: Na segunda-feira (1°), começaram a ser vacinadas pessoas acima de 84 anos. Nesta sexta-feira (5), serão vacinados os idosos a partir de 80 anos. A imunização acontece em três pontos da cidade, das 9h às 17h. https://www.joaopessoa.pb.gov.br/ - Teresina: A partir desta quarta (3), passou a vacinar profissionais da saúde que ainda não receberam as doses e também idosos de 80 a 84 anos pelo sistema de drive thru. - São Luís: Na próxima segunda-feira (8), a cidade vai passar a aplicar a vacinação em idosos de 75 anos já cadastrados na plataforma do sistema responsável pelo procedimento. https://www.saoluis.ma.gov.br/vacinasaoluis

  • Agência Brasil

    Apostador de Curitiba acerta os seis números da Mega-Sena

    Um ganhador de Curitiba foi o único a acertar os seis números da Mega-Sena sorteados nesta quarta-feira (23) e receberá 2.780.964,58. Os números sorteados no Espaço Loterias Caixa, em São Paulo. foram 05, 10, 25, 32, 49 e 54. O vencedor fez uma aposta simples na Loteria Napoli no bairro Novo Mundo na capital paranaense, O sorteio 2349 da Caixa também teve 59 apostas ganhadoras de cinco números, que receberão R$ 25.587,57 e 3.150 apostadores acertaram quatro números e ganharão R$ 684,65. A estimativa de prêmio para o próximo concurso, no sábado (6), é de pagar R$ 22 milhões a quem acertar os seis números sorteados. As apostas na Mega-Sena podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília) do dia do sorteio em lotéricas ou pela internet. A aposta simples, com seis dezenas, custa R$ 4,50.

  • O Globo

    Aposta de Curitiba ganha prêmio de R$ 2,7 milhões da Mega-Sena

    Veja os números sorteados nesta quarta-feira

  • Reuters

    Colheita de soja no PR atinge 23%, ainda atrasada; plantio de milho safrinha vai a 28%

    SÃO PAULO (Reuters) - A colheita de soja 2020/21 no Paraná atingia na segunda-feira 23% da área plantada, um avanço de 15 pontos percentuais frente à semana passada, embora o atraso na comparação com as safras anteriores persista, informou o Departamento de Economia Rural (Deral) nesta terça-feira. No mesmo momento da temporada 2019/20, o Paraná havia colhido 42% da área semeada com a oleaginosa.

  • Reuters

    CNA pede extensão no prazo de zoneamento agrícola para milho safrinha no PR e MT

    SÃO PAULO (Reuters) - A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) solicitou ao Ministério da Agricultura a prorrogação por dez dias do período de Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para semeadura do milho segunda safra no Paraná e em Mato Grosso, após atrasos no plantio, disse a entidade nesta sexta-feira. A CNA justificou que a semeadura tardia da soja na primeira safra e as chuvas em fevereiro levaram a um atraso significativo do plantio do milho safrinha.

  • Extra

    Suspeitos por golpe de US$ 1 milhão contra empresários peruanos são presos, no PR

    Três pessoas suspeitas de terem dado um golpe de US$ 1 milhão contra empresários peruanos foram...

  • Yahoo Notícias

    Covid-19: Fiscalização sanitária interdita culto com mais de duas mil pessoas em Curitiba

    Três multas foram aplicadas e totalizaram R$ 150 mil. Os agentes disseram ter chegado ao culto lotado após receberem uma denúncia.

  • Reuters

    Engie Brasil é autorizada a operar comercialmente Campo Largo IX, na Bahia

    SÃO PAULO (Reuters) - A elétrica Engie Brasil Energia recebeu autorização da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para iniciar as operações comerciais do parque eólico Campo Largo IX a partir desta terça-feira, informou a empresa em comunicado.Localizado em Umburanas (BA), o parque possui capacidade instalada de 25,2 megawatts (MW) e faz parte do conjunto eólico Campo Largo II, que conta com capacidade instalada de 361,2 MW e energia totalmente direcionada para o ambiente livre.

  • Folhapress

    Saiba o que aconteceu com os principais alvos da Lava Jato de Curitiba

    CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - A dissolução da força-tarefa da Lava Jato do Paraná, com a incorporação de parte de seus membros pelo grupo de atuação especial de combate ao crime organizado (Gaeco) do Ministério Público Federal (MPF), gera incertezas sobre o destino das investigações ainda em andamento. Prestes a completar sete anos desde que a primeira fase foi deflagrada, em março de 2014, a apuração já resultou em 80 etapas e mais de uma centena de denúncias e ações penais -muitas delas ainda sem sentença proferida pela Justiça Federal de Curitiba, ou seja, que ainda demandam dedicação dos procuradores. A mudança no formato da equipe de investigação, anunciada no último dia 3, ocorreu após embate do grupo com o procurador-geral Augusto Aras, que tem o poder de renovar a autorização de funcionamento das forças-tarefas. Aras criticava a falta de formalização das forças-tarefas dentro do Ministério Público, enquanto os procuradores dizem que, agora, um grupo menor terá dedicação exclusiva aos casos da operação. Conheça, a seguir, os principais números da operação e saiba o que aconteceu com os principais alvos da força-tarefa. BALANÇO DA LAVA JATO Em sete anos, operação no Paraná gerou mais de uma centena de ações e condenações* 80 fases 179 ações penais 174 condenados (1ª e 2ª instância) 209 acordos de colaboração 17 acordos de leniência 1.455 mandados de busca e apreensão 295 mandados de prisão (temporária e preventiva) R$ 4,3 bilhões devolvidos aos cofres públicos R$ 14,8 bilhões previstos em multas decorrentes de acordos com pessoas e empresas R$ 111,5 milhões em renúncias voluntárias de réus * Os números se referem à operação no Paraná. A partir de 2015, as investigações e delações premiadas em andamento no estado geraram desdobramentos enviados a diversas partes do país, que tramitaram também em diferentes instâncias do Judiciário, como STF e Justiça Eleitoral. O outro grupo mais ativo é a força-tarefa da Lava Jato do Rio, que investigou suspeitas relacionadas ao ex-governador Sérgio Cabral e ao ex-presidente Michel Temer. ALGUNS DOS PRINCIPAIS ALVOS NA INVESTIGAÇÃO NO PARANÁ Alberto Youssef doleiro, pivô da operação Lava Jato Pena: condenado a 122 anos pelos crimes de corrupção e lavagem de dinheiro e ao pagamento de R$ 50 milhões em multas, mas foi beneficiado pelo acordo de delação Prisão: preso em março de 2014, cumpriu dois anos e oito meses de prisão em regime fechado, mais quatro meses em casa, com tornozeleira eletrônica e, por mais dois anos, cumpriu regime aberto André Vargas ex-deputado pelo PT-PR, foi o primeiro político sentenciado na Lava Jato Pena: condenado na segunda instância a 19 anos e 10 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e multa de R$ 1,1 milhão Prisão: preso em abril de 2015, foi solto em outubro de 2018 e agora cumpre liberdade condicional Dario de Queiroz Galvão ex-presidente da Galvão Engenharia Pena: condenado a 20 anos e 6 meses de prisão na segunda instância por lavagem de dinheiro, corrupção ativa e associação criminosa, fechou delação premiada Prisão: permaneceu três meses preso em 2015 e, após fechar acordo de delação premiada, cumpriu mais seis meses de prisão e agora está em regime semiaberto privilegiado, com uso de tornozeleira eletrônica Delúbio Soares ex-tesoureiro do PT Pena: condenado em segunda instância a seis anos de prisão por lavagem de dinheiro Prisão: preso entre maio de 2018 e setembro de 2019, passou para o regime semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica, mas, em novembro do mesmo ano, foi liberado após decisão do STF que determinou que condenados só passem a cumprir pena após esgotados os recursos Eduardo Cunha ex-deputado do MDB e ex-presidente da Câmara que abriu processo de impeachment contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) Pena: condenado a 14 anos e 6 meses na segundainstância por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, e a 15 anos e 11 meses na 1ª instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro Prisão: preso desde outubro de 2016, foi solto em março de 2020 por conta da pandemia, já que é idoso e corria riscos de contrair a Covid-19, e hoje cumpre prisão domiciliar com uso de tornozeleira eletrônica Fernando Soares lobista apontado como operador financeiro do PMDB (hoje MDB) no esquema Pena: condenando a 31 anos na segunda instância, teve a pena suspensa após firmar acordo de delação premiada Prisão: preso em novembro de 2014, foi solto após um ano, quando fechou acordo de delação premiada. Cumpriu mais um ano usando tornozeleira eletrônica, outro ano em prisão domiciliar, mais um ano com medidas restritivas, e seis meses de serviço comunitário Gim Argello ex-senador pelo PTB do DF Pena: condenado na segunda instância a 11 anos e 8 meses por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e tentativa de obstruir as investigações, e a R$ 7,35 milhões em multa Prisão: preso em abril de 2016, foi beneficiado com o perdão judicial em 2019 pelo indulto natalino editado pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) João Claudio Genu ex-tesoureiro do PP Pena: foi condenado em segunda instância a 9 anos e 4 meses de prisão por corrupção passiva e associação criminosa Prisão: preso em maio de 2016 e solto cerca de um ano depois por decisão do STF, voltou à prisão em maio de 2018, quando foi condenado em segunda instância pelo TRF4. Liberado novamente em novembro do ano seguinte após decisão do STF que determinou que o cumprimento da pena só inicia após esgotados os recursos. João Santana ex-marqueteiro do PT Pena: condenado em segunda instância a 15 anos e 10 meses por lavagem de dinheiro Prisão: preso em fevereiro de 2016, foi solto em agosto do mesmo ano. Condenado no ano seguinte, fechou acordo de delação premiada. Cumpriu três anos de prisão domiciliar e, em setembro de 2020, passou para o regime aberto. João Vaccari Neto ex-tesoureiro do PT Pena: condenado em segunda instância a 37 anos e 4 meses por corrupção passiva em três processos, e absolvido em outros dois Prisão: preso em abril de 2015, foi beneficiado pelo indulto natalino concedido pelo ex-presidente Michel Temer (MDB) e deixou a prisão em setembro de 2019, quando passou para o regime semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica. O TJPR, contudo, cassou o indulto e a decisão foi ratificada pelo ministro do STF, Edson Fachin, em outubro de 2020. José Aldemário (Léo) Pinheiro ex-presidente da construtora OAS, enquanto delator, apontou o ex-presidente Lula como dono do triplex no Guarujá Pena: condenado em segunda instância a cerca de 37 anos por corrupção, lavagem de dinheiro, organização criminosa e obstrução à investigação, firmou acordo de delação premiada que determinou que ele pague R$ 45 milhões em multas e reparação de danos Prisão: detido em novembro de 2014, foi solto meses depois, mas novamente preso em setembro de 2016. Teve o acordo homologado pelo STF em setembro de 2019, quando passou a cumprir pena em casa, com uso de tornozeleira eletrônica José Dirceu ex-deputado e ex-chefe da Casa Civil no governo Lula Pena: condenado em segunda instância a mais de 39 anos por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e organização criminosa Prisão: alvo da mais nova denúncia da Lava Jato, apresentada pelo MPF em fevereiro de 2021, foi preso pela primeira vez na operação em agosto de 2015. Depois de um vaivém de prisões e condenações, foi beneficiado pelo entendimento do STF sobre o início de cumprimento da pena e deixou a prisão em novembro de 2019 Luiz Argôlo ex-deputado federal (Solidariedade-BA) Pena: condenado em segunda instância a 12 anos e 8 meses e ao pagamento de R$ 2 milhões em multa por corrupção e lavagem de dinheiro Prisão: preso em abril de 2015, cumpriu quatro anos de pena em regime fechado, quando obteve liberdade condicional. Em julho do mesmo ano, teve um pedido de indulto negado Luiz Inácio Lula da Silva ex-presidente da República Pena: condenado em segunda instância em dois processos (sítio de Atibaia e triplex no Guarujá) a 29 anos e dois meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro Prisão: ficou preso entre abril de 2018 e novembro de 2019, quando o STF mudou o entendimento sobre a execução da pena a partir da 2ª instância. A defesa dele busca anular as ações alegando imparcialidade do ex-juiz Sergio Moro Marcelo Odebrecht Ex-presidente da Odebrecht Pena: condenado em segunda instância a 43 anos e 8 meses por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa Prisão: preso preventivamente em junho de 2015, foi condenado no ano seguinte, mas, em dezembro, fechou acordo de delação premiada. Deixou a prisão em dezembro de 2017, quando passou a cumprir pena em regime domiciliar. Seguiu para o semiaberto cerca de dois anos depois Nestor Cerveró ex-diretor da área Internacional da Petrobras Pena: condenado em segunda instância a 32 anos e 5 meses e, em primeira instância, a mais 6 anos e 8 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, se comprometeu a devolver R$ 17 milhões Prisão: preso em janeiro e condenado em maio de 2015, fechou acordo de delação premiada em novembro do mesmo ano. Foi cumprir a pena em casa, usando tornozeleira eletrônica. Paulo Roberto Costa ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Pena: condenado na segunda instância a mais de 75 anos por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa, mas foi beneficiado por um acordo de delação premiada Prisão: cumpriu dois anos e cinco meses em regime fechado e, atualmente, continua no regime aberto, com restrições, mas sem uso de tornozeleira eletrônica. Pedro Barusco ex-gerente de Serviços da Petrobras Pena: condenado em segunda instância a 17 anos e 6 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro e, em primeira instância, a 27 anos e 4 meses, teve as condenações suspensas por acordo Prisão: com o acordo de delação premiada, a pena foi cumprida inicialmente em regime aberto diferenciado, em casa, com uso de tornozeleira eletrônica. Em abril de 2018, retirou o equipamento, mas ainda deve apresentar relatórios e informar à Justiça sobre viagens. Pedro Corrêa ex-deputado federal e ex-presidente do PP Pena: condenado em segunda instância a 29 anos e 5 meses por corrupção passiva e lavagem de dinheiro Prisão: preso em abril de 2015, passou a cumprir pena em casa a partir de março de 2017 devido a problemas de saúde. Como fechou acordo de delação premiada, passou para o regime semiaberto, com uso de tornozeleira eletrônica. Renato Duque ex-diretor de Serviços da Petrobras Pena: condenado a quase 140 anos por corrupção, associação criminosa e lavagem de dinheiro Prisão: ficou preso por cinco anos, até março de 2020, quando seguiu para o regime domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica. Também não pode deixar o país ou entrar em contato com os demais investigados