Assunto

Paraná PR | Últimas noticias do estado

  • Folhapress

    Acidente com ônibus de turismo deixa 19 mortos no Paraná

    CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - m acidente com ônibus na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná, deixou ao menos 19 mortos e mais de 30 feridos na manhã desta segunda-feira (25). A Polícia Militar (PM) chegou a divulgar 21 óbitos, mas corrigiu a informação por volta de 14h. Segundo informações da Polícia Rodovia Federal (PRF), o ônibus descia a Serra do Mar em direção ao litoral catarinense quando bateu na mureta de contenção, saiu da pista e tombou na lateral da rodovia. O veículo de turismo saiu de Ananindeua (PA) com destino a Balneário Camboriú (SC) com 53 passageiros e dois motoristas, de acordo com a PRF. Inicialmente, a informação era de 54 passageiros. A PM confirmou o atendimento de 33 pessoas, entre elas, sete feridas gravemente, seis moderadamente e outras 20 vítimas com ferimentos leves. O Corpo de Bombeiros do Paraná fez uma varredura minuciosa com cães farejadores no local depois da retirada do veículo e informou, às 14h40, que mais nenhuma vítima havia sido encontrada. Os corpos foram encaminhados ao IML de Curitiba. Duas aeronaves do Batalhão de Operações Aéreas da PM do Paraná e uma de Santa Catarina foram deslocadas para o local para ajudar no resgate. Todos os feridos foram encaminhados a hospitais da região. Os mais graves foram levados de aeronave para o Hospital Cajuru, em Curitiba (PR), e para o Hospital São José, em Joinville (SC). Vítimas leves e moderadas foram encaminhadas por ambulâncias a hospitais em Garuva e Joinville. Há crianças entre os feridos. O acidente ocorreu próximo do km 668 da BR-376, por volta de 8h30. O trecho sinuoso é conhecido como Curva da Santa, onde já foram registrados vários acidentes. O motorista saiu ileso, foi ouvido na delegacia de Guaratuba e depois liberado. Segundo o delegado Cristiano Quintas, ele não havia ingerido bebida alcoólica e afirmou que o acidente foi causado por falta de freios no veículo. “Ele relatou que notou um problema nos freios do ônibus logo após o início das curvas da Serra, mas que já seria muito tarde e que não conseguia mais segurar o ônibus. Ele não conseguiu entrar na área de escape, local de contenção na rodovia e infelizmente acabou não conseguindo fazer uma das curvas”, disse o delegado, que deve ainda vai ouvir os relatos de feridos no acidente. Segundo o depoimento do motorista, de 67 anos, já era sua terceira viagem para o litoral catarinense com a empresa que o contratou para o serviço. Ele revezava o trabalho com um colega. Ainda de acordo com ele, havia dois guias turísticos na equipe. A delegacia de delitos de trânsito de Curitiba vai instaurar inquérito para apurar o caso. Em entrevista à RPCTV, o capitão Ícaro Greinert, do Corpo de Bombeiros, destacou que a tragédia poderia ter sido ainda maior. “Ele caiu na ribanceira, felizmente não caiu rio abaixo, o que dá pelo menos 50 metros, porque aí o número de mortos poderia ter sido mais significativo.” O fluxo de veículos sentido Santa Catarina foi bloqueado e só foi totalmente liberado por volta de 17h30. A fila de veículos chegou a 21 km. Pelas redes sociais, o governador do Pará, Hélder Barbalho (MDB), lamentou o acidente e disse que o estado está dando suporte para familiares das vítimas. "Imediatamente, pedi para o secretário de Segurança do estado entrar em contato com os responsáveis pelo resgate, no local do acidente, para identificar as vítimas e prestar o apoio necessário. Meus sentimentos aos que perderam familiares nesse terrível incidente." A empresa de turismo TC Pires da Cruz, responsável pelo transporte, informou que o ônibus foi fretado por uma terceira pessoa, responsável pelo grupo, que também estava no ônibus. Afirmou ainda que representantes da empresa estão a caminho do local para prestar auxílio às vítimas e que está providenciando um meio de comunicação para prestar informações aos familiares. Segundo a TC Pires, de acordo com a lista de passageiros fornecida pelo contratante da viagem, havia 50 pessoas a bordo do ônibus. "A TC Pires da Cruz informa que prestará todo apoio necessário às vítimas e familiares e não medirá esforços para amenizar a dor de cada um dos paraenses envolvidos no acidente, assim como a dos seus entes queridos, neste momento tão difícil para todos", finalizou na nota. A ANTT confirmou que o veículo estava cadastrado na frota da empresa Girassol Turismo e devidamente habilitado para prestar serviços de transporte interestadual, com autorização para a viagem. Segundo o itinerário enviado à ANTT, o ônibus saiu de Ananindeua, fez uma parada em Goiânia (GO), iria para Balneário Camboriú e, depois, para São José, em Santa Catarina, retornando posteriormente ao Pará.

  • Folhapress

    Sem leitos de UTI, Rondônia inicia transferência de 65 pacientes para PR e RS

    PORTO VELHO, RO, E RECIFE, PE (FOLHAPRESS) - Com o sistema de saúde pública colapsado e uma ocupação de 100% dos leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), o governo de Rondônia iniciou nesta segunda-feira (25) a transferência dos primeiros pacientes com Covid-19 para outros estados. Seis pacientes que estavam na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da zona Sul foram transferidos para hospitais de Curitiba, no Paraná. Ao todo, 65 pacientes com Covid-19 de Rondônia serão transferidos para estados do Sul do país, em uma operação intermediada pelo Ministério da Saúde e com o apoio das Forças Armadas. Nesta terça-feira (26) 50 pacientes deixam Porto Velho e seguem para o Rio Grande do Sul. Destes, 20 serão enviados para o Hospital Universitário de Canoas. Os outros 30 ficarão em Porto Alegre -10 no Grupo Hospitalar Conceição, 10 no Hospital de Clínicas e 10 no Hospital Vila Nova. "A solidariedade não tem distância nem fronteira", afirmou nesta segunda-feira o governador em exercício do Rio Grande do Sul, Ranolfo Vieira Júnior (PTB). Além dos seis já transferidos nesta segunda, pelo menos outros nove pacientes devem ser transferidospara o Paraná, segundo o governo de Rondônia. A prefeitura de Curitiba informou que preparou uma ala com 18 leitos de enfermaria no Hospital Vitória e outros 12 leitos na Santa Casa de Curitiba para pacientes que serão transferidos de Rondônia. Rondônia vive uma escalada de novos e de hospitalizações de pacientes com a Covid-19. Com cerca de 1,7 milhão de habitantes, o estado registrou cerca de 117,2 mil casos da Covid-19, com 2.111 mortes pela doença desde o início da epidemia. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a ocupação de leitos de UTI estava em 100% nesta segunda-feira. Os leitos clínicos, destinados a pacientes com menos gravidade, estavam com 71% de ocupação. Além do avanço de casos no próprio estado, Rondônia também teve o seu sistema de saúde pressionado por pacientes de outros estados, principalmente do Amazonas, que vive uma situação de colapso. José Azevedo Melo, 58 anos, trabalha em uma balsa de cargas que faz transportes entre Porto Velho e Manaus. Ele mora na capital amazonense, e segundo o filho, Davi Nobre, contraiu a doença de um colega de trabalho há duas semanas. Como sistema de saúde em colapso em Manaus, incluindo escassez de oxigênio em parte da rede hospitalar a família optou por trazê-lo para Porto Velho. "Esse companheiro de trabalho de meu pai não sabia que tinha Covid, mas ele acabou passando para todos que estavam na embarcação. Eles ficaram com sintomas leves e só meu pai que está na UTI em estado gravíssimo. Ele é hipertenso e isso contribuiu ", disse Davi. Os médicos que atendem José Azevedo em Porto Velho falaram para a família que não será possível transferi-lo para outro estado pelas condições do paciente. "Só um milagre para o meu pai se salvar", afirmou Davi. A escassez de leitos fez com que o governo do estado endurecesse as medidas restritivas para evitar a disseminação do novo coronavírus. No último dia 17 de janeiro, o Governo de Rondônia baixou um decreto fechando todo o comércio não essencial, instituindo toque de recolher das 20h às 6h da manhã. Também foi proibida a venda de bebidas alcoólicas no estado das 18h às 6h da manhã. Funcionária da Prefeitura de Porto Velho, Francineide Oliveira, perdeu dois irmãos, o pai e ficou internada por 17 dias com Covid-19, em um espaço de um pouco mais de um mês, em maio do ano passado. Ela afirma que o clima é de apreensão com a segunda onda de casos da Covid-19. "Tenho muito medo de ter uma recaída. Normalmente, a segunda infecção é mais grave e sofrida que a primeira. Já fiquei com algumas sequelas, na respiração e nos nervos. Sem contar que a gente pode não conseguir ser atendido com os hospitais lotados", afirmou Francineide. Segundo o governador Marcos Rocha (PSL), a falta de médicos é atualmente o principal entrave para abertura de novos leitos de UTI no estado. O estado também enfrenta desabastecimento do banco de sangue do estado em razão da diminuição do fluxo dos doadores. Pelo menos três tipos de de sangue estão com estoque em nível baixíssimo. De acordo com informações do governo estadual, a entidade necessita neste momento de 100 doadores diários para que o estoque seja renovado. Por outro lado, ao contrário do vizinho Amazonas, Rondônia não enfrenta escassez nos estoque de oxigênio hospitalar.

  • Agência Brasil

    Acidente de ônibus no Paraná deixa 19 mortos

    Um acidente no Paraná hoje (25) deixou, até o momento, 19 mortos. Um ônibus saía da cidade de Guaratuba, próxima à divisa com Santa Catarina, e se dirigia no sentido sul, pela BR-376, quando bateu e saiu da estrada, na altura do km 668. O veículo, de placa do Pará, levava 53 passageiros, além de dois motoristas. Dezenove pessoas morreram, sete estão em estado grave, seis em estado moderado e 20 com lesões leves. As vítimas em situação grave foram levadas de aeronave para o Hospital Universitário Cajuru, na capital do estado, Curitiba, e as outras para o hospital São José, em Joinville, no norte de Santa Catarina. Já as pessoas que ficaram em situações moderada e leve foram encaminhadas a hospitais da região, nas cidades de Guaratuba, Paranaguá, Garuva, no Paraná, e Joinville, em Santa Catarina. De acordo com o Corpo de Bombeiros do Paraná, além da corporação há diversas instituições estão no local, como a Polícia Rodoviária Federal. A área foi bloqueada e o trânsito foi liberado, mas está lento. A polícia científica atua para apurar as causas do acidente. À Agência Brasil, a assessoria do Corpo de Bombeiros do Paraná disse que ainda não há mais informações sobre as causas do acidente e por que o veículo saiu da pista. Assista na TV Brasil:

  • Folhapress

    Acidente com ônibus de turismo deixa ao menos 21 mortos no Paraná

    CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Um acidente com ônibus na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná, deixou ao menos 21 mortos e mais de 30 feridos na manhã desta segunda-feira (25). Segundo informações da PRF (Polícia Rodovia Federal), o ônibus descia a Serra do Mar em direção ao litoral catarinense quando bateu na mureta de contenção, saiu da pista e tombou na lateral da rodovia. O veículo de turismo saiu de Ananindeua (PA) com destino a Balneário Camboriú (SC) com 54 passageiros e dois motoristas, de acordo com a PRF. Até então, a Polícia Militar confirmou o atendimento de 33 pessoas, entre elas sete feridas gravemente, seis moderadamente e outras 20 vítimas com ferimentos leves. O Corpo de Bombeiros do Paraná continua os trabalhos na região com cães de busca para localizar possíveis vítimas que possam ter sido ejetadas. Até o momento, não há uma lista oficial de passageiros. O IML está no local para recolhimento dos passageiros mortos. Todas as vítimas foram encaminhadas a hospitais da região. As mais graves levadas via aeronave para o Hospital Cajuru, em Curitiba, e para o Hospital São José, em Joinville. Vítimas leves e moderadas foram levadas por ambulâncias a hospitais em Garuva e Joinville, em Santa Catarina. O acidente ocorreu próximo do km 668 da BR-376, por volta de 8h30. O trecho é conhecido como Curva da Santa, onde já foram registrados vários acidentes. Duas aeronaves do Batalhão de Operações Aéreas da PM foram deslocadas para o local para ajudar no resgate. A pista sentido Santa Catarina está bloqueada para atendimento das vítimas. Segundo a Arteris Litoral Sul, concessionária que administra a rodovia, até as 12h30, havia 18 km de congestionamento no local. Pelas redes sociais, o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB), lamentou o acidente e disse que o estado está dando suporte para familiares das vítimas. "Imediatamente, pedi para o secretário de segurança do Estado entrar em contato com os responsáveis pelo resgate, no local do acidente, para identificar as vítimas e prestar o apoio necessário. Meus sentimentos aos que perderam familiares nesse terrível incidente."

  • Folhapress

    Acidente com ônibus de turismo deixa ao menos 14 mortos no Paraná

    CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Um acidente com ônibus na BR-376, em Guaratuba, no litoral do Paraná, deixou ao menos 14 mortos e mais de 30 feridos na manhã desta segunda-feira (25). Segundo informações da PRF (Polícia Rodovia Federal), o ônibus descia a Serra do Mar em direção ao litoral catarinense quando bateu na mureta de contenção, saiu da pista e tombou na lateral da rodovia. O veículo de turismo saiu de Ananindeua (PA) com destino a Balneário Camboriú (SC) com 54 passageiros e dois motoristas, de acordo com a PRF. Até então, a Polícia Militar confirmou o atendimento de 32 pessoas, entre elas sete feridas gravemente, seis moderadamente e outras 19 vítimas com ferimentos leves. Elas estão sendo encaminhadas para hospitais em Curitiba e Joinville (SC). O IML está no local para recolhimento dos passageiros mortos. O acidente ocorreu próximo do km 668 da BR-376, por volta de 8h30. O trecho é conhecido como Curva da Santa, onde já foram registrados vários acidentes. Duas aeronaves do Batalhão de Operações Aéreas da PM foram deslocadas para o local para ajudar no resgate. A pista está bloqueada para atendimento das vítimas. Segundo a Arteris Litoral Sul, concessionária que administra a rodovia, até as 10h30, havia 10 km de congestionamento no local.

  • Yahoo Notícias

    Acidente com ônibus deixa ao menos 19 mortos e 33 feridos no litoral do Paraná

    O ônibus, com placa de Belém, no Pará, descia a Serra do Mar no sentido litoral do estado quando saiu da pista e tombou às margens da rodovia

  • Extra

    Ceni mexe mal, Flamengo perde para o Athletico-PR e não depende mais de si para ser campeão

    O Campeonato Brasileiro se ofereceu ao Flamengo de forma insinuante neste fim de semana. Primeiro,...

  • Extra

    Polícia do Paraná investiga morte de adolescente após encontro em motel

    A Polícia Civil do Paraná investiga a morte de uma adolescente de 16 anos após se encontrar com um...

  • Folhapress

    Mais de cem obras de arte do clã Lobão apreendidas pela Lava Jato chegam a Curitiba

    BELO HORIZONTE, MG (FOLHAPRESS) - Mais de cem obras de arte apreendidas pela Polícia Federal em endereços ligados ao filho do ex-ministro Edison Lobão, Márcio Lobão, foram entregues ao Museu Oscar Niemeyer, o MON, em Curitiba, nesta quinta-feira (14), com ajuda do Exército. São pinturas, desenhos, gravuras e esculturas de autoria de grandes nomes da arte moderna e contemporânea brasileira, como Adriana Varejão, Beatriz Milhazes, Lygia Clark, Iberê Camargo, Mariana Palma, Sandra Cinto, Vik Muniz e da dupla Osgêmeos. Os mandados de busca e apreensão, que ocorreram nesta terça (12), fizeram parte da 79ª fase da Operação Lava Jato, batizada Vernissage, que apura suposta prática de lavagem de dinheiro pelo ex-ministro e seus filhos Márcio Lobão e Edison Lobão Filho. Segundo o Ministério Público Federal, o MPF, pelo menos quatro obras de três artistas contemporâneas brasileiras --Sandra Cinto, Mariana Palma e Vânia Mignone-- foram usadas em esquema de lavagem de dinheiro de proprina envolvendo a Transpetro, subsidiária da Petrobras. De acordo com o pedido de busca e apreensão feito pelo MPF, os galeristas Ricardo Trevisan e Rodrigo Editore, donos da Casa Triângulo, em São Paulo, procuraram o órgão federal para confessar que teriam praticado o crime de lavagem de dinheiro, além firmar um acordo para trancar a ação penal, segundo documento obtido pela reportagem. O lote se soma a outros 230 trabalhos que já haviam sido destinados ao museu em fases anteriores da Lava Jato.

  • Agência Brasil

    Lava Jato doa obras de arte ao Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba

    A Polícia Federal entregou, na tarde desta quinta-feira (14), cerca 100 obras de arte ao Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba. As obras foram apreendidas na última terça-feira (12), durante a deflagração da 79ª fase da Operação Lava Jato, denominada Vernissage, que cumpriu onze mandados de busca e apreensão em cinco cidades do Brasil. Polícia Federal entrega ao Museu Oscar Niemeyer obras apreendidas na Operação Vernissage - Divulgação/Polícia Federal em Curitiba-PR Foram identificadas peças de diversos artistas plásticos brasileiros de renome internacional como Adriana Varejão, Alfredo Volpi, Anna Bella Geiger, Beatriz Milhazes, Lygia Clark, Iberê Camargo, Mariana Palma, Renê Machado, Sandra Cinto, Vik Muniz, entre outros. Polícia Federal entrega ao Museu Oscar Niemeyer obras apreendidas na Operação Vernissage - Divulgação/Polícia Federal em Curitiba-PR Segundo a PF, as obras ainda passarão por um laudo pericial que vai atestar a originalidade, bem como as condições atuais de cada uma delas. O lote se soma a outros 230 trabalhos que já haviam sido destinados ao museu em fases anteriores da Lava Jato. Entre as obras apreendidas, 31 fazem parte da exposição Luz = Matéria, em cartaz atualmente no MON. Polícia Federal entrega ao Museu Oscar Niemeyer obras apreendidas na Operação Vernissage - Divulgação/Polícia Federal em Curitiba-PR