Assunto

Rio Grande do Sul RS | Últimas notícias do estado

  • Reuters

    Adama anuncia nova fábrica de fungicidas no RS com investimento de R$150 mi

    SÃO PAULO (Reuters) - A companhia de agroquímicos Adama construirá uma nova fábrica de fungicidas na cidade gaúcha de Taquari, anunciou a empresa nesta segunda-feira, estimando os investimentos na unidade em 150 milhões de reais até 2021.Segundo comunicado, a planta terá como foco a fabricação da síntese (ingrediente ativo) de novos produtos, somando-se a um complexo de soja da companhia que já está localizado no município.

  • Yahoo Notícias

    'Chuva escura' intriga moradores do RS; fenômeno pode ter relação com queimadas no Pantanal

    Dois residentes da cidade gaúcha notaram que a água estava ficando turva e escura ao coletarem em baldes a água da chuva

  • Reuters

    RS prevê alta de 69% na safra de soja 20/21; infraestrutura limita avanço do arroz

    SÃO PAULO (Reuters) - A safra 2020/21 de soja no Rio Grande do Sul, terceiro maior produtor do grão no país, deve saltar 69%, a 18,95 milhões de toneladas, enquanto o arroz pode ter o avanço limitado pela infraestrutura de irrigação, apesar dos preços favoráveis à cultura, disse a Emater-RS nesta quinta-feira. O desempenho esperado para a oleaginosa vem na esteira de uma recuperação, após fortes perdas causadas pela seca na temporada anterior.

  • Agência Brasil

    PF faz ação para conter conflito entre indígenas no Rio Grande do Sul

    pCrimes praticados por conflitos em aldeia indígena na região norte do Rio Grande do Sul são alvo da Operação Carreteiro, deflagrada pela Polícia Federal (PF) nesta sexta-feira (4). Cerca de 110 policiais federais cumprem 21 mandados de prisão preventiva e 28 de busca e apreensão nos municípios gaúchos de Água Santa, Tapejara, Charrua e Passo Fundo. A ação conta com o apoio da Brigada Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros, do Instituto Geral de Perícias e da Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe). Mais de 300 agentes públicos estão envolvidos na operação.img src=https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.png?id=1387022o=rss style=width:1px; height:1px; display:inline; /img src=https://agenciabrasil.ebc.com.br/ebc.gif?id=1387022o=rss style=width:1px; height:1px; display:inline; //p h2Disputa/h2 pEm junho, índios do Posto Indígena Carreteiro entraram em conflito pela disputa da liderança local motivada por divergências na divisão das terras e na gestão de cargos e recursos. Um dos grupos foi expulso da aldeia e foi para um abrigo na cidade de Água Santa, enquanto o outro grupo controla a reserva./p pSegundo a PF, os dois grupos rivais, reforçados por indivíduos de outras áreas indígenas, estão armados e nos últimos três meses têm praticado diversos atos violentos, inclusive em zona urbana, contra pessoas e contra o patrimônio./p h2Crimes/h2 pO inquérito da Polícia Federal apura quatro tentativas de homicídio, organização criminosa, porte ilegal de arma, ameaças, lesões corporais e incêndios criminosos em residências. As ações de hoje têm por objetivo fazer parar a violência na região e a retomada da normalidade na aldeia e no município, além de reunir informações e provas que auxiliem na identificação dos autores e demais envolvidos dos crimes./p

  • Folhapress

    Novo ciclone extratropical provoca ventos de até 100 km/h no RS

    CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - Um novo ciclone extratropical está avançando do Uruguai ao Rio Grande do Sul nesta quinta-feira (3), provocando ventos que podem variar de 60 a 100 km/h, principalmente no litoral sul do estado. Há também previsão de rajadas mais leves em parte de Santa Catarina. Segundo alerta do Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), há risco de danos, como queda de árvores e destelhamentos, com a passagem do vendaval em ao menos 42 cidades gaúchas, próximas à fronteira com o Uruguai. Porém, de acordo com a Defesa Civil do estado, ainda não há registro de ocorrências. Ainda nesta quarta-feira (2) à tarde, o Instituto Nacional de Meteorologia na Barra do Chuí registrou ventos de 76 km/h, segundo o MetSul Meteorologia. As regiões mais afetadas, de acordo com o portal, foram os litorais sul e norte gaúcho. As operações no porto de Rio Grande chegaram a ser suspensas devido ao mar agitado, com ondas de até três metros. O ciclone se formou próximo à costa do país vizinho e deve se estender pelo menos até a tarde desta quinta, de acordo com o Inmet. Apesar do alerta, outros institutos de meteorologia apontam que o fenômeno deve perder força e que os ventos mais fortes já foram registrados na quarta. A força do ciclone, porém, tem menor potencial do que o do registrado em julho no Sul do país. Uma frente fria associada ao ciclone também influencia o tempo em Santa Catarina, provocando chuvas mal distribuídas durante todo o dia. Podem ocorrer rajadas de vento de até 70 km/h, mais intensas no litoral sul do estado. A temperatura, segundo o Epagri/SC ( Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina), fica mais amena até o final de semana, mas não há previsão de frio intenso. O clima de instabilidade também deve ser registrado após a passagem do ciclone por território gaúcho, principalmente na metade norte do estado. Segundo o MetSul, a chuva será irregular. Na quarta, também foram registradas rajadas de 83 km/h no aeroporto de Laguna del Sauce, departamento de Maldonado, no Uruguai, segundo o MetSul. Em Montevidéu, os ventos atingiram 77 km/h. Também há ocorrências de alagamentos no país vizinho, como na região de Chuí e Santa Vitória do Palmar.

  • Reuters

    Rio Grande do Sul vê perdas no trigo por geadas, mas ainda contabiliza danos

    SÃO PAULO (Reuters) - O Rio Grande do Sul sofreu perdas pelas geadas ocorridas no último final de semana, mas o tamanho do prejuízo vem sendo apurado, uma vez que muitas lavouras ainda não apresentam sinais dos efeitos do frio, disse a Emater em nota na noite de quinta-feira.Cerca de 20% da área de 920 mil hectares de trigo está nos estágios reprodutivos, de emissão de espigas, floração e formação de grãos, as fases mais sensíveis aos efeitos climáticos, de acordo com nota da empresa de assistência técnica do Estado.

  • Reuters

    Geadas atingem 1/3 do trigo do Paraná suscetível a perdas; RS também sofre

    SÃO PAULO (Reuters) - Geadas atingiram no final de semana aproximadamente um terço das áreas de trigo do Paraná em floração ou enchendo grãos, fases em que a cultura é suscetível a perdas, o que deve resultar em quebra de safra no maior produtor brasileiro do cereal, afirmou nesta segunda-feira um especialista do Departamento de Economia Rural (Deral), do governo do Estado.Considerando que mais de 60% das lavouras do Paraná estão em floração ou frutificação, as geadas atingiram até 300 mil hectares de trigo em fases sujeitas a perdas, ponderou o coordenador da Divisão de Estatísticas do Deral, Carlos Hugo Godinho, à Reuters.

  • Folhapress

    Mesmo com pandemia, neve e temperaturas perto de 0°C atraem turistas no RS e SC

    PORTO ALEGRE, RS (FOLHAPRESS) - A aguardada neve, prevista pelos meteorologistas, chegou ao Rio Grande do Sul e a Santa Catarina e provocou maior procura de passeios a cidades turísticas voltadas ao clima frio, mesmo em meio à pandemia da Covid-19 e a números elevados de mortes e casos no Sul. Na quinta-feira (20), houve registro de flocos de neve, ainda que esparsos, em municípios como os gaúchos São Francisco de Paula, Canela, Gramado, Cambará do Sul, Bom Jesus e Riozinho, e em cidades da serra catarinense e Grande Florianópolis como Rancho Queimado, Major Gercino e Anitápolis. As temperaturas variaram de -5,6°C a 3,4°C. Na gaúcha Nova Petrópolis, o casal de turistas da capital do estado Tania Moura, 52, e Sergio Karntz, 62, diz que viajaram pelo frio. "Viemos por dois motivos. O primeiro é porque adoramos o frio e o segundo é porque foi anunciado previsão de mais neve aqui na Serra. Sempre viemos para esta cidade, o povo é bem hospitaleiro aqui'', disse empolgado por telefone o turista. Sergio diz não ter medo de viajar e sair de casa. Ele afirma já ter contraído a Covid-19. "Em julho fui diagnosticado com o novo coronavírus. Foi uma gripe bem forte, mas felizmente não baixei hospital, apenas fiquei de quarentena em casa'', contou. Já sua esposa Tania diz que viu neve pela primeira vez quando ainda era criança. "Foi na cidade de Chapecó em Santa Catarina''. A expectativa deles nesta sexta (21) era de apreciar o fenômeno durante sua estadia na cidade. De acordo com o presidente do Sindtur-Serra Gaúcha, Mauro Salles, houve um aumento significativo de turistas em busca de hospedagem na região nos últimos dias, por conta da queda da temperatura. "Este final de semana será surpreendente. Os proprietários dos hotéis estão muito otimistas com a chegada da neve e a expectativa é muito grande com a chegada de mais turistas'', disse Salles. O Sindtur-Serra Gaúcha representa a classe patronal dos empresários da região, possuindo em sua abrangência as cidades turísticas de Canela, Gramado, São Francisco de Paula e Nova Petrópolis. Cerca de 300 hotéis e pousadas estão instalados nesses municípios totalizando 28 mil leitos a disposição dos turistas. No entanto, o limite máximo de ocupação nos hotéis é de 50% de sua capacidade devido à pandemia. Na avaliação do presidente do sindicato, essa foi a segunda melhor temporada de turistas em 2020, considerando movimento e ocupação de leitos em hotéis. ''Antes disso, tivemos uma boa circulação de visitantes no feriado de Corpus Christi." Para o presidente do Conselho Municipal de Turismo (Comtur-Nova Petrópolis), Valmor Reckler, é possível observar uma leve reação dos turistas, que estariam voltando a visitar a região. "Gradativamente o turismo vem se reestabelecendo, em especial neste final de semana por causa da neve, mas nos meses que antecederam, entre março e junho, houve uma queda muito grande de visitantes na cidade, principalmente de pessoas vindas de São Paulo e Rio." O proprietário do Hotel Petrópolis, Marcelo Becker comemora a chegada da frente fria e o movimento de turistas em seu hotel, que pode disponibilizar metade dos seus 33 apartamentos, pelas restrições sanitárias. Na manhã desta sexta-feira, de acordo com a MetSul Meteorologia, cerca de 70 cidades gaúchas registraram temperaturas abaixo de zero grau e com registro de forte geada, entre elas: Soledade (-7,0°C), Pinheiro Machado (-6,7°C), Farroupilha (-5,1°C), Quaraí (-5,0°C), Tio Hugo (-4,8°C) e Vacaria (-4,6°C). No estado catarinense não foi diferente, dezenas de cidades atingiram temperaturas negativas no alvorecer da quinta. A menor temperatura em Santa Catarina foi registrada no município de Bom Jardim da Serra, com -8,6°C, o recorde na cidade desde 2008. O município fica localizado a uma altitude de 1.232 metros. Em Urupema o termômetro chegou a marcar -7,5°C e na cidade Urubici registrou -5,8°C. Os dados foram obtidos das estações do sistema Epagri/Ciram do governo catarinense. A previsão do tempo para a madrugada deste sábado (22) será de muito frio com temperaturas abaixo de zero nos estados sulinos. A geada também marcará presença principalmente na região dos Campos de Cima da Serra no sul e no planalto catarinense. No sul do Paraná, as temperaturas poderão chegar a -4°C em algumas cidades. No sábado, além do frio, o tempo fica seco e ensolarado. As informações são da meteorologista Estael Sias da MetSul.

  • Reuters

    Geadas atingem trigo no RS, mas PR tem área maior sujeita a perdas, diz Safras

    SÃO PAULO(Reuters) - Geadas atingiram o trigo do Rio Grande do Sul nesta sexta-feira e perdas estão sendo ainda avaliadas, mas o Estado gaúcho tem uma área suscetível a quebra climática menor que o Paraná, onde o frio pode colocar em risco parte das lavouras nas próximas duas madrugadas, avaliou nesta sexta-feira a consultoria Safras & Mercado.O Rio Grande do Sul, segundo maior produtor de trigo no Brasil, tem cerca de 22% da área suscetível ao frio, disse o analista da consultoria Jonathan Staudt, durante videoconferência.

  • Agência Brasil

    Onda de frio faz nevar no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina

    A Massa de ar frio que atinge, desde o dia 18, a América do Sul baixou significativamente a temperatura em diversas áreas do Brasil a ponto de fazer nevar em várias áreas das serras gaúcha e catarinense. Segundo a meteorologia, os termômetros registraram temperatura negativa, neve e chuva congelada em várias áreas dos dois estados.Tendo por base dados do o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e de alguns aeroportos do país, o Climatempo, site especializado em meteorologia, informou que em Bom Jardim da Serra (SC) a temperatura ficou em -8°C hoje (21), por volta das 5 horas. Ficou também negativa nas cidades catarinenses de São Joaquim (-4°C) e Lages (-1°C). Em São José dos Ausentes e Quaraí (RS) os termômetros marcaram -4°C, e em Vacaria (RS), -3°C. No sul do Paraná, em Dom Pedrito (RS) e em Xanxerê (SC) foi registrado 0°C.Com isso, “várias áreas das serras gaúcha e catarinense registraram neve e chuva congelada na tarde e noite desta quinta-feira, 20 de agosto”, informou o Climatempo. De acordo com o site, esses fenômenos ocorreram em São Francisco de Paula (RS), São Joaquim (SC), Nova Petrópolis (RS), Gramado (RS), São José dos Ausentes (RS) e Cambará do Sul (RS), Canela (RS).“As condições para nevar no Sul do Brasil são ainda maiores nesta sexta-feira, 21 de agosto, e algumas áreas terão geada. A grande e forte massa de ar frio de origem polar que chegou ao Sul do Brasil, e permitiu a ocorrência de neve, vai atuar com mais força ainda nesta sexta-feira”, acrescenta.Há previsão de neve e outros tipos de precipitação de inverno para hoje na serra do Rio Grande do Sul, na serra e nos planaltos sul e norte de Santa Catarina e no sul do Paraná. Em todas estas áreas, o céu fica nublado e faz muito frio o dia todo.Imagens de satélites mostram nebulosidade sobre o Sul do Brasil que podem resultar em grande quantidade de nuvens e condições para chuva no centro-norte e leste do Paraná e no nordeste e leste de Santa Catarina, informa o Climatempo.“Ao contrário da neve, a geada é um fenômeno que ocorre quando o céu está com pouca ou nenhuma nebulosidade e faz bastante frio. Quase todo o Rio Grande do Sul e o oeste de Santa Catarina já estavam praticamente sem nuvens. São nestas áreas que a geada se forma já na madrugada e ao amanhecer desta sexta-feira, 21. A geada também deve ocorrer no sudoeste do Paraná, região de Foz do Iguaçu”, acrescenta.Ouça na Radioagência Nacional:

COMPARTILHE ESTA PÁGINA