Assunto

Santa Catarina SC | Notícias do estado e Florianópolis

  • Agência Brasil

    Alagoas e Santa Catarina recebem recursos para gestão de lixo

    Municípios de Alagoas e de Santa Catarina vão receber recursos do Ministério do Meio Ambiente (MMA) para implementar e melhorar a gestão do lixo em suas cidades. Em Alagoas, o município a receber o dinheiro é o de Arapiraca. O montante vai ser usado em ações de educação ambiental e assessoria técnica especializada para capacitação de catadores de lixo. Em Santa Catarina, os recursos também vão ser utilizados para o treinamento de catadores de um consórcio presente em 18 municípios do estado. Ao todo, mais de 520 mil brasileiros serão beneficiados pelas ações nos dois estados. As ações fazem parte do programa Lixão Zero, que apoia estados e municípios na destinação adequada de resíduos. PNRS O Programa Nacional Lixão Zero é parte da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e, conforme informações do MMA, está inserido no âmbito da Agenda Nacional de Qualidade Ambiental Urbana e "objetiva subsidiar os estados e municípios na gestão dos resíduos sólidos urbanos, com foco na disposição final ambientalmente adequada". *com informações do Ministério do Meio Ambiente

  • Agência Brasil

    Chuvas provocam alagamentos e deslizamentos em Florianópolis

    Chuvas intensas provocaram na manhã desta segunda-feira (25) um alagamento e alto volume de água e rejeitos nas vias públicas no bairro da Lagoa da Conceição, em Florianópolis (SC). Segundo a prefeitura, 94 pessoas estão desabrigadas. De acordo com a prefeitura, houve o rompimento de uma estrutura da Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan), o que ampliou o volume de água na via. As áreas de risco foram isoladas e as famílias serão realojadas nos abrigos municipais, caso necessário. Ainda segundo a prefeitura, durante os serviços de remoção das terras que deslizaram na saída da ilha na Via Expressa, houve novos rolamentos. Agentes da Guarda Municipal passaram o dia no local para orientar os motoristas. Em nota, a Casan informou que o rompimento de taludes da lagoa artificial de infiltração foi contido próximo ao meio-dia. A companhia disse ainda que o líquido que escorreu para a Lagoa da Conceição é “efluente tratado e água da chuva, e não esgoto”. Chuvas Segundo o sistema de meteorologia local, a previsão de chuva se mantém. A Defesa Civil de Florianópolis segue o monitoramento dos locais de maior risco, como as regiões de morro do centro e norte da ilha. Até o momento, foram registradas mais de 100 ocorrências de deslizamentos, desmoronamentos e alagamentos em vários bairros da cidade desde a última semana. A orientação é que a população, tanto pedestres quanto motoristas, evite se deslocar nos pontos afetados pela chuva para evitar riscos à saúde e acidentes, além de ocorrências por deslizamentos. De acordo com o Corpo de Bombeiros de Santa Catarina, no fim de semana foram registrados soterramentos e deslizamentos que provocaram a morte de duas pessoas.

  • Folhapress

    Avenida fica submersa em Florianópolis após chuvas e rompimento de lagoa artificial

    PORTO ALEGRE, RS (FOLHPRESS) - O rompimento de uma estrutura da Casan (Companhia Catarinense de Águas e Saneamento) em Florianópolis deixou uma avenida submersa na manhã desta segunda-feira (25), na Lagoa da Conceição, um dos principais pontos turísticos da capital catarinense. Casas e automóveis na Avenida das Rendeiras ficaram embaixo da água devido ao rompimento. Segundo a Casan, a estrutura que se rompeu foi a de uma lagoa artificial que recebe efluente tratado da Estação de Esgotos da região. De acordo com o órgão, o rompimento ocorreu por causa das fortes chuvas dos últimos dias em Santa Catarina. Uma mãe e sua filha morreram no último domingo (24) devido a um desabamento em decorrência da chuva. "Florianópolis sofreu muito nos últimos dias por causa das chuvas. A nossa lagoa [artificial de tratamento] acabou também recebendo essa chuva, e bastante água subiu nas ruas. Nossa lagoa acabou recebendo mais efluente que o normal, e essa água, então, pegou seu caminho natural, que é até a Lagoa da Conceição", explica Roberta Maas dos Anjos, engenheira ambiental e presidente da Casan. De acordo com o órgão, técnicos e assistentes sociais estão trabalhando para apurar os danos para recuperá-los e ressarcir os moradores. A prefeitura de Florianópolis tem publicado alertas em redes sociais para que os moradores não circulem em locais em que o solo esteja instável ou áreas alagadas. "Reforçamos apenas o pedido para que as pessoas não fiquem em áreas de risco, não transitem em locais alagados e se antecipem para evitar tragédias. Ainda pedimos para aquelas que estão em segurança que fiquem em suas casas", disse comandante-geral dos Bombeiros, coronel Charles Alexandre Vieira, em nota. No domingo, o prefeito da capital catarinense, Gean Loureiro (DEM), pediu às pessoas que "ao sinal de qualquer perigo" que abandonem as suas residências. "Temos abrigo e hotel", garantiu o prefeito. Um abrigo provisório, para atender pelo menos 50 pessoas, foi montado na Passarela do Samba. De acordo com a prefeitura, 250 profissionais fazem a limpeza das ruas, desentupimentos e outras ações pela cidade. A expectativa é que a chuva siga até terça-feira (26).

  • Folhapress

    Com forte chuva, Florianópolis registra morte de mãe e filha em desabamento de muro

    RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) - Duas pessoas morreram após um deslizamento de terra e desabamento de um muro neste domingo (24), em Florianópolis (SC). A cidade sofre com forte chuva, alagamentos, deslizamentos e transbordamentos de córregos. O prefeito Gean Loureiro (DEM) informou as mortes das duas pessoas, no Saco Grande, por meio das redes sociais. Segundo o prefeito, as vítimas eram mãe e filha. O prefeito pediu às pessoas que "ao sinal de qualquer perigo" que abandonem as suas residências "temos abrigo e hotel", garantiu o prefeito. Neste domingo, Loureiro se reuniu com equipes da prefeitura na Defesa Civil Municipal para definir ações das próximas horas. O prefeito informou que pretende decretar situação de emergência ainda neste domingo. A prefeitura contabiliza mais de 30 registros devido às chuvas. "Essa chuva nos preocupa porque com a semana inteira de chuva, o solo está encharcado e a chance de deslizamento é muito alta. Temos mais de 30 registros. Infelizmente, um dos registros na região do Saco Grande levou a dois óbitos. Nós estamos trabalhando para orientar toda população. Se tiver qualquer situação de poste inclinado, árvore inclinada, rachaduras na parede avisem imediatamente a Defesa Civil no telefone 199", disse o prefeito em vídeo nas suas redes sociais. Um abrigo provisório, para atender pelo menos 50 pessoas, foi montado na Passarela do Samba. De acordo com a prefeitura, 250 profissionais fazem a limpeza das ruas, desentupimentos e outras ações pela cidade. A expectativa é que a chuva ainda perdure até a próxima terça-feira (26).

  • LANCE!

    Dora Varella confirma o favoritismo e vence o STU de Criciúma

    Evento catarinense de skate conta pontos na qualificação para os Jogos de Tóquio-2020

  • Agência Brasil

    Meteorologia alerta para chuva persistente em regiões de SC

    O Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina divulgou nesta sexta-feira (22) um aviso meteorológico de chuva persistente no estado. O comunicado ressalta que há risco de alagamentos e deslizamentos especialmente nas regiões do litoral e do médio e baixo Vale do Itajaí. De acordo com o órgão, o clima é provocado por forte convergência de umidade no estado. Desde a manhã de segunda-feira (18) a chuva não deu trégua em Santa Catarina. Nas regiões da Grande Florianópolis, Vale do Itajaí, Planalto Norte e Litoral Norte, a chuva tem sido mais persistente, com totais elevados de 100 mm a 170 mm, quase o esperado para todo o mês de janeiro no Planalto Norte e praticamente a metade da chuva esperada nas demais regiões. Houve registro de alagamentos e deslizamentos devido ao solo encharcado. Segundo o governo do estado, nas demais regiões, os valores de chuva foram menos significativos. A chuva está sendo causada por forte convergência de umidade no estado, associada a um cavado (área de baixa pressão) e à circulação marítima (transporte de umidade do mar para o continente). A previsão é que para o fim de semana o sol apareça entre nuvens na maioria das regiões, e a chuva ocorre mais em forma de pancadas na tarde e noite (típicas de verão). No entanto, o sistema de meteorologia não descarta a possibilidade de temporais localizados.

  • Yahoo Notícias

    #Verificamos: É falso que jovem tentou ser vacinado usando disfarce de idoso em Santa Catarina

    A legenda que circula com a imagem nas redes sociais foi alterada. Trata-se, na verdade, de uma reportagem veiculada na TV Band, em 12 de agosto de 2019

  • Yahoo Notícias

    Professora morre ao cair de pedra enquanto fazia fotos em praia de SC

    Após despencar da pedra, ela foi arrastada por uma onda

  • Folhapress

    Presidente da Assembleia de Santa Catarina é preso em operação da PF

    CURITIBA, PR (FOLHAPRESS) - O presidente da Assembleia Legislativa de Santa Catarina, deputado Julio Garcia (PSD), foi preso nesta terça-feira (19) na segunda fase da Operação Alcatraz, que apura desvios de verbas em contratos de gestões anteriores do governo estadual. Segundo a assessoria do parlamentar, ele foi levado pela Polícia Federal para prestar esclarecimentos, quando teve a prisão decretada. Como ele tem mais de 70 anos, a prisão foi convertida em domiciliar, com uso de tornozeleira eletrônica. Ainda de acordo com a assessoria, o advogado do deputado só vai se pronunciar quando tiver completo acesso aos autos e aos motivos da detenção. Nesta fase da operação, denominada Hemorragia, a Justiça Federal emitiu, ao todo, 11 mandados de prisão preventiva, nove de prisão temporária, além de 34 mandados de busca e apreensão, nas cidades de Florianópolis, Joinville, Biguaçu e Xanxerê. O Ministério Público Federal, que conduz as investigações juntamente com a PF, não confirmou os nomes dos envolvidos. Segundo o órgão, a Justiça também autorizou o bloqueio de valores e imóveis de 17 investigados e 14 empresas supostamente envolvidas nas fraudes e desvios. Outros 14 veículos, vários classificados como de luxo, foram apreendidos. A Justiça determinou ainda o sequestro de sete imóveis, entre apartamentos, terrenos, casas e vagas em garagem, que estavam em nome de familiares ou empresas relacionadas a um dos suspeitos e de dois veículos por ele utilizados. A investigação teve início em julho de 2018, a partir da constatação de sonegação de impostos com indícios de desvios de verbas públicas apontados pela Receita Federal. O MPF afirma que este "representa o maior esforço de combate à corrupção já ocorrido" em Santa Catarina. As suspeitas envolvem principalmente a empresa responsável pela gestão do plano de saúde dos servidores estaduais e empresas da área de tecnologia da informação. Por meio de nota, a Secretaria de Administração de Santa Catarina informou que enviou ofício à PF solicitando mais informações sobre os processos em curso e que outras medidas "somente poderão ser adotadas após ciência concreta da situação". A investigação apura supostos desvios em contratos de gestões anteriores do governo estadual, entre os anos de 2006 e 2018, firmados por diversas secretarias, principalmente pela pasta da saúde, empresas estatais (Casan, Celesc e Epagri) e pela Assembleia Legislativa. Em oito anos, entre 2011 e 2019, os contratos da área da saúde envolveram cerca de R$ 400 milhões. Deste valor, segundo o MPF, ao menos R$ 66,5 milhões foram desviados e pagos em propina para agentes públicos. Já uma das empresas de tecnologia da informação recebeu aproximadamente R$ 76,4 milhões em dez anos, entre 2009 e 2019, e teria desviado ao menos R$ 26 milhões para pagar propina. As licitações e contratos foram analisados por técnicos do Ministério Público de Contas de Santa Catarina, que cruzaram os dados com elementos obtidos pela Operação Alcatraz. O esquema, conforme o apurado, envolvida fraude e direcionamento de licitações para as empresas previamente escolhidas. As contratações também eram prorrogadas indevidamente, segundo o MPF, beneficiando os investigados. Os agentes políticos lideravam o esquema, de acordo com o MPF, ou indicavam servidores públicos e/ou apadrinhados para cargos estratégicos para poder interferir nas licitações. O desvio de verbas era acobertado por meio de empresas de fachada, contratações fictícias e "volumosos" saques de dinheiro em espécie, segundo a investigação. Segundo Rodrigo Muller, chefe da Delegacia de Repressão a Corrupção e Crimes Financeiros da Polícia Federal de Santa Catarina, integrantes do primeiro escalão de governos anteriores atuavam no esquema. Este é o quinto mandato de Garcia na Assembleia catarinense. Ele também já foi conselheiro do Tribunal de Contas do estado. Em setembro do ano passado, ele e outras cinco pessoas foram denunciadas pelo MPF por lavagem de dinheiro no âmbito da Operação Alcatraz. Na ocasião, a defesa dele afirmou "que a denúncia é especulativa e baseada em suposições".

  • LANCE!

    Goleiro Zé Carlos, do Brusque, está de volta à série B após quatro anos

    Desde 2017, arqueiro conquistou três acessos e três títulos em times catarinenses, sendo eles o próprio Brusque, Concórdia e Londrina