Assunto

Notícias sobre João Dória - Governador de São Paulo

Notícias sobre João Dória - Governador de São Paulo

  • Folhapress

    Sem confirmação da F-1, Doria diz que São Paulo receberá GP neste ano

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou nesta sexta-feira (10) que o GP de Interlagos fará parte do calendário da F-1 em 2020. "Para este ano está confirmada a Fórmula 1. O autódromo está preparado para receber, evidentemente dentro dos protocolos de saúde, e os organizadores já sabem. Nós temos um contrato. Em relação a este ano, o contrato tem que ser cumprido. Temos que deixar isso claro, de parte a parte. A nossa posição é que o contrato será cumprido", afirmou em entrevista coletiva. A categoria iniciou sua temporada no último fim de semana, na Áustria, sem público e sob um rígido protocolo sanitário. O país europeu receberá mais uma prova neste fim de semana. Depois, outros oito GPs estão garantidos no calendário, mas o do Brasil não é um deles. Nesta sexta, a F-1 incluiu Mugello (Itália) e Sochi (Rússia) na lista de corridas confirmadas. Na semana passada, o chefe da Mercedes, Toto Wolff, disse que, com base em suas conversas com o CEO da categoria, Chase Carey, achava muito improvável a competição sair do circuito Europa/Ásia e ir para a América neste ano. Ainda assim, o prefeito da capital paulista, Bruno Covas (PSDB), também exibiu otimismo. "A gente está mostrando que os números da cidade não correspondem à realidade que a gente está vendo no Brasil como um todo, que são os números que acabam sendo divulgados no exterior. A gente espera que eles compreendam que aqui na cidade não há nenhum risco na realização da prova em novembro", disse. A data original do GP de Interlagos era o dia 15 de novembro. Além da discussão sobre 2020, o futuro da prova é incerto, já que o contrato de São Paulo com a F-1 termina neste ano. A cidade negocia a renovação, mas também enfrenta a concorrência do Rio de Janeiro, que pretende construir um autódromo novo na região de Deodoro. "Seguimos conversando com a Liberty Media [empresa que controla a categoria] para a possibilidade de renovação do contrato. Não há confirmação. Aqui temos um autódromo pronto, consagrado, tido como um dos cinco melhores do mundo. Nada contra o Rio de Janeiro, mas não faz sentido um gasto de R$ 1 bilhão para construir um autódromo em uma área que não tem aprovação ambiental em um momento de pandemia com escassez de recursos", afirmou Doria.

  • motorsport.com

    Doria diz que SP vai receber F1 em 2020 e detona autódromo no RJ

    Governador e prefeito Bruno Covas foram questionados sobre a realização da prova de Interlagos neste ano

  • Valor Econômico

    Doria estende quarentena até dia 30, mas só 17% seguem na fase vermelha

    Com a atualização desta sexta, 83% da população do Estado está nas fases amarela ou laranja O governo de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta sexta-feira a renovação da quarentena até 30 de julho e a melhora da classificação de regiões do litoral e do interior do Estado, que avançam no plano de relaxamento do isolamento social. A informação foi dada no Palácio dos Bandeirantes, durante entrevista coletiva sobre medidas relacionadas ao coronavírus. "Iniciamos uma nova fase na luta contra a pandemia, que marca gradualmente de forma segura o retorno à normalidade. Uma fase que resgata a nossa esperança", disse Doria. Cerca de 50% da população do Estado de São Paulo está na fase amarela, segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Ele afirmou que 83% está nas fases amarela e laranja. Plano SP quarentena Governo de SP

  • Folhapress

    Doria reabre zoológico e parques estaduais a partir de segunda

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A gestão João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (10) a reabertura dos parques estaduais e do Zoológico de São Paulo a partir de segunda (13). Os parques que reabrirão são Água Branca, Villa-Lobos, Cândido Portinari, Ecológico do Tietê, Jardim Botânico, Safari, Cantareira e Jaraguá, além do zoológico. Os locais funcionarão de segunda a sexta, das 10h às 16h.

  • Folhapress

    Doria relaxa quarentena e só 17% de SP segue com restrições mais duras

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governo João Doria (PSDB) anunciou nesta sexta-feira (10) a renovação da quarentena até dia 30 de julho e a melhora da classificação do litoral e interior. A informação foi dada no Palácio dos Bandeirantes, no Morumbi, zona oeste de SP, durante a 87ª coletiva de imprensa sobre medidas relacionadas ao coronavírus. "Iniciamos uma nova fase na luta contra a pandemia, que marca gradualmente de forma segura o retorno à normalidade. Uma fase que resgata a nossa esperança", disse Doria, que voltou a dizer que vê o estado entrando no platô. A Baixada Santista passou à fase amarela, assim como o Vale do Ribeira e regiões da Grande SP. Agora, esses locais poderão também abrir bares e restaurantes. A maioria das regiões do interior também evoluiu para a fase laranja. Apenas três delas permanecem com as maiores restrições, na fase vermelha: Campinas, Ribeirão Preto, Franca e Araçatuba. Cerca de 50% da população do estado de SP está na fase amarela, segundo o secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi. Ele afirmou que 83% da população está nas fases amarela e laranja —portanto, apenas 17% na fase vermelha. A gestão também anunciou a reabertura dos parques estaduais e do Zoológico de São Paulo a partir de segunda (13). Os parques que reabrirão são Água Branca, Villa-Lobos, Cândido Portinari, Ecológico do Tietê, Jardim Botânico, Safari, Cantareira e Jaraguá, além do zoológico. Os locais funcionarão de segunda a sexta, das 10h às 16h. O estado atingiu 359.110 casos confirmados e 17.442 óbitos.

  • Reuters

    Doria renova quarentena em SP até 30 de julho e diz que pandemia está em platô no Estado

    "Estamos ingressando em uma fase de platô no Estado de São Paulo. Depois de um longo período enfrentando o pico --não apenas na capital de São Paulo, mas em todo o Estado de São Paulo--, agora estamos ingressando no platô", disse Doria durante entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual.

  • Yahoo Notícias

    São Paulo tem 9 regiões com flexibilização nas regras da quarentena e Doria vê 'platô' da Covid-19

    Os resultados foram apontados pelo governador João Doria (PSDB) como indícios de uma possível estabilização da doença em São Paulo.

  • Folhapress

    Após atrito com Doria, CBF depende do governo para ter Brasileiro em SP

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A decisão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) de iniciar o Campeonato Brasileiro em 9 de agosto adiantou a retomada do Campeonato Paulista. Nesta quarta-feira (8), o governador João Doria (PSDB) anunciou que o torneio estadual poderá reiniciar em 22 de julho, com a final prevista para o dia 8 de agosto, mesmo fim de semana do começo do Nacional. "A CBF tem a previsão de iniciar o Brasileiro, e para isso a Federação Paulista de Futebol [FPF] precisa concluir o Paulista. E isso é uma atividade profissional, não amadora, então existem interesses envolvidos e atividades econômicas relacionadas", disse à reportagem Paulo Menezes, coordenador do Centro de Contingência da Covid-19 do governo estadual. A sobreposição das competições foi tema de uma divergência entre o governador e a CBF. Na segunda (6), Doria disse que os times paulistas não poderiam jogar o Brasileiro sem que o estadual tivesse sido finalizado, o que provocou uma resposta da confederação afirmando que a data de início da sua competição havia sido aprovada inclusive pelos clubes de São Paulo. Para que o Campeonato Brasileiro possa ser disputado no estado, porém, um novo debate precisa acontecer e ainda não foi iniciado. "Nós não recebemos nenhuma solicitação relacionada ao Brasileiro. A gente precisaria avaliar, porque aí vêm equipes do país todo para São Paulo", afirmou Menezes. De acordo com ele, os 19 membros do centro aprovaram por unanimidade o protocolo da FPF. O documento prevê testes para atletas e demais envolvidos nos jogos a cada 48 horas, o que daria segurança para a realização do torneio mesmo considerando que poderá haver deslocamentos entre cidades em diferentes estágios do combate à pandemia. "O Centro de Contingência avaliou que não é um risco. O protocolo prevê afastamento imediato de casos positivos. Então, a chance de ter alguém transmitindo o vírus dentro do grupo vai ser baixa. E essas pessoas não vão ter contato com a população local, porque vão entrar no estádio, jogar e ir embora", disse o coordenador. Ele admitiu, porém, que, se o estado como um todo regredir nas faixas de flexibilização, a competição poderá ser interrompida: "Não antevejo que essa seja a principal preocupação. Vamos dizer que o estado volte todo para laranja ou vermelho, há o risco de segunda onda, como no mundo inteiro. Se houver, vamos ter que rever e eventualmente até suspender as atividades". Por enquanto, a volta de público aos estádios, mesmo que parcial, não é cogitada. "Eu diria, de uma perspectiva pessoal, que é algo que provavelmente só vai ocorrer quando estivermos em um outro nível, o nível azul, do 'novo normal', onde a circulação do vírus está controlada. Aí a gente pode discutir como ter torcidas", afirmou o coordenador. Menezes também disse que estão sendo tomadas precauções do ponto de vista da segurança pública para evitar aglomerações de torcedores em uma comemoração de vitória ou de título, por exemplo: "Existe o risco de isso ocorrer. Acho que a federação, o Centro de Contingência e o governo foram muito explícitos de que as torcidas devem ficar em casa. A gente espera que essa mensagem seja compreendida". Sobre a situação do técnico do Palmeiras, Vanderlei Luxemburgo, que tem 68 anos e recebeu diagnóstico positivo após teste para o novo coronavírus no último fim de semana, o coordenador afirmou que pessoas que estão nos grupos de risco devem preferencialmente manter o distanciamento social. Reconheceu, no entanto, que isso é mais difícil em determinados casos. "Eu tenho mais de 60 anos e saio de casa todo dia, porque preciso, em função dos meus compromissos com a população. Em algumas situações, o isolamento não é possível. Imagino que seja a situação do técnico. Não dá para ele fazer home office na hora do jogo."

  • Yahoo Notícias

    ‘Quero ver a Bia Doria parir em abrigo e achar atrativo’, rebate mãe em situação de rua

    Em protesto de moradores de rua no centro de SP por vagas em abrigos e acesso à higiene para conter pandemia, mãe de dois filhos critica primeira-dama paulista.

  • Folhapress

    Doria anuncia retorno do Campeonato Paulista para o dia 22 de julho

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou na tarde desta quarta-feira (8) a data de retomada da Série A1 do Campeonato Paulista. O torneio será reiniciado no dia 22 de julho e o segundo jogo da final deverá acontecer em 8 de agosto. "O Centro de Contingência aprovou a volta, os jogos deverão ocorrer na cidade em fase amarela e em estádios sem a presença de torcida. Vai acontecer a primeira rodada [de retomada] do Campeonato Paulista no dia 22 de julho", afirmou Doria. De acordo com o Plano São Paulo, somente a capital e 14 municípios da Grande São Paulo estão na fase amarela atualmente. Santos, por exemplo, está na fase laranja, enquanto que Campinas e Ribeirão Preto estão na fase vermelha. Esses dados foram publicados no último dia 3 e são revisados semanalmente. Hoje, somente Corinthians, São Paulo e Palmeiras poderiam receber os jogos na capital, assim como o Água Santa, em Diadema. O Santo André, no ABC paulista, também está na fase amarela, mas o seu estádio abriga um hospital de campanha. “A situação de cada região é mutante, então mais próximo da data do jogo vamos mapear o local possível de fazer o futebol”, disse o presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos. Segundo o dirigente, a entidade faz parcerias para oferecer estádios da capital como o Canindé e a Rua Javari. Principal foco da doença, o estado de São Paulo reúne 341.365 casos e 16.788 óbitos, de acordo com os dados divulgados nesta quarta (8). Jogadores, comissões técnicas e funcionários que estarão envolvidos na realização das partidas se comprometem em cumprir o "Protocolo Operação do Jogo", que a FPF (Federação Paulista de Futebol) submeteu ao Comitê de Contingência do governo estadual. O documento prevê uma média de 200 pessoas trabalhando no estádio em um dia de jogo, com a divisão do local em três zonas. A área azul, que compreende o campo e os ambientes internos do estádio, como vestiários e corredores, terá apenas a presença de jogadores, comissões técnicas, equipe de arbitragem, gandulas e equipe de limpeza, entre outros profissionais cuja atuação acontece no jogo. Na zona amarela, que compreende toda a área interna restante do estádio (arquibancadas, cabines e portões), estarão os operadores de serviços do VAR, segurança das delegações e equipes da Rede Globo, que por ser a detentora dos direitos de transmissão será o único veículo de imprensa com acesso autorizado ao jogo. A zona vermelha, parte externa, deverá contar somente com profissionais de estrutura de transmissão da Globo, motoristas, equipes de policiamento e seguranças. O documento de 22 páginas foi elaborado pelos médicos dos 16 clubes da Série A1 e pelo Dr. Moisés Cohen, responsável pela área médica da Federação Paulista. “O protocolo segue também as principais referências internacionais, de países que enfrentam a pandemia de Covid-19 e que retomaram suas competições com responsabilidade”, diz o documento. As medidas são semelhantes às adotadas pela Bundesliga, a primeira entre as principais competições da Europa a retornar durante a pandemia. No documento de 50 páginas, a liga alemã estabeleceu um teto de 320 pessoas trabalhando ao mesmo tempo nos estádios, que também foram divididas em três zonas: campo, arquibancadas/cabines e área externa (pátio, portões e estacionamento). O médico e chefe do Centro de Contingência em São Paulo, João Gabbardo, afirmou que o retorno dos torcedores nos estádios deverá ser autorizado somente com tratamento eficaz ou a vacina diante do coronavírus. O presidente da FPF, Reinaldo Carneiro Bastos, convocou uma videoconferência com os 16 dirigentes para esta quinta-feira (9), às 11h. A expectativa é que a competição seja concluída no dia 8 de agosto, um sábado. No dia seguinte, a CBF (Confederação Brasileira de Futebol) pretende iniciar a disputa do Campeonato Brasileiro. O Paulista está paralisado desde o dia 16 de março em razão da pandemia do novo coronavírus. Faltam seis rodadas (duas na fase de grupos e quatro na etapa final) para o término da competição. Para que não haja conflitos de agenda entre a decisão do Paulista e o início do Brasileiro, a FPF conseguiu negociar com a CBF para que os times finalistas do Estadual compensem a primeira rodada do Nacional posteriormente. A princípio os grandes clubes não queriam retornar aos jogos oficiais com menos de um mês de treinamento –as atividades com bola foram liberadas no último dia 1º de julho. No entanto, com o avanço dos Estaduais, principalmente o do Rio de Janeiro, os dirigentes entendem que a falta de ritmo poderá deixar suas equipes em desvantagem durante o Brasileiro. Esse conflito de datas entre Campeonato Paulista e o Brasileiro levou a uma discussão entre Doria e a cúpula da CBF. O governador havia dito na segunda-feira (6) que, sem concluir o Paulista, os times de São Paulo não poderiam participar do Campeonato Brasileiro. A CBF rebateu com nota no mesmo dia, dizendo que os clubes de São Paulo aprovaram, em reunião no dia 25 de junho, as datas de 9 de agosto para o início da Série A do Campeonato Brasileiro e 8 de agosto para o início da Série B. No anuncio transmitido online e pelo canal Cultura ao vivo, Doria, inclusive, cumprimentou e agradeceu pela audiência de Rogério Caboclo e Walter Feldman, respectivamente, presidente e secretário-geral da CBF. Procurada pela reportagem nesta quarta, a CBF não se manifestou sobre o assunto até a publicação do texto. Outro motivo pelo retorno é o aspecto financeiro. Com a paralisação, os clubes ainda não puderam contar com a premiação paga pela Federação Paulista e também não receberam a última parcela do contrato com a Globo referente aos direitos de televisionamento do estadual. Corinthians, Palmeiras, São Paulo e Santos recebem uma cota total de R$ 26 milhões cada um, e Água Santa, Botafogo, Bragantino, Ferroviária, Guarani, Inter de Limeira, Ituano, Mirassol, Novorizontino, Oeste, Ponte Preta e Santo André ficam com R$ 6 milhões cada um para cederem os direitos de transmissão. A federação também dividirá R$ 11,8 milhões em premiações, R$ 5 milhões para o campeão. “Dos 25 jogadores com os quais começamos o campeonato, temos 16 atualmente e contratamos outros quatro, vai ser um grande desafio para o Santo André, mas a volta nos gera um alívio”, disse o presidente do Santo André, Sidney Riquetto. O time de ABC detém a melhor campanha do Campeonato Paulista. “Além de não contarmos com receitas, como a última parcela da transmissão e as possibilidades de premiações, tivemos novos gastos, como o de hospedar 38 pessoas em um hotel fazenda para os treinamentos e pagar salários e rescisões dos que se foram.” A restrição da fase laranja para a realização dos jogos não se aplica para os treinamentos liberados, desde o dia 1º de julho, inclusive para os times concentrados na fase vermelha. “São coisas distintas, os times vão continuar treinando, mas o futebol só acontecerá conforme o determinado pelo comitê de Covid-19”, diz Bastos. A FPF também agendou para a próxima terça-feira (14) uma reunião com os representantes das divisões intermediárias do Campeonato Paulista.

  • 0

COMPARTILHE ESTA PÁGINA