Assunto

Alagoas AL | Últimas notícias do estado

  • Yahoo Notícias

    Governo de Alagoas exclui povos quilombolas do grupo prioritário de vacinação

    Entidades sociais e Ministério Público denunciam a não priorização dos quilombolas de Alagoas na imunização contra a Covid-19; Uma carta de recomendação foi encaminhada ao Governo do Estado para que um cronograma emergencial seja estabelecido

  • Reuters

    Enauta prevê 1ª poço com Exxon e Murphy em Sergipe-Alagoas no 2º semestre

    RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Enauta prevê a perfuração do primeiro poço exploratório em blocos onde tem participação na Bacia de Sergipe-Alagoas no segundo semestre deste ano, afirmou nesta quinta-feira o diretor-presidente Décio Oddone. A companhia detém 30% de participação em nove blocos em Sergipe-Alagoas, enquanto a operadora Exxon tem 50% e a Murphy Oil os 20% restantes.

  • Agência Brasil

    Braga Netto passa mal durante férias em Alagoas

    O ministro da Casa Civil, Walter Souza Braga Netto, teve um mal súbito nesta quarta-feira (24). Segundo a assessoria do ministério, Braga Netto passava férias em Alagoas quando se sentiu mal e teve que ser hospitalizado no hospital Santa Casa de Misericórdia, de Maceió. Sem fornecer detalhes, a assessoria da pasta informou que o ministro passou a noite em observação, foi submetido a exames para identificar as causas do mal-estar e liberado na manhã de hoje (25). Ainda conforme a assessoria ministerial, ele passa bem e retorna a Brasília ainda hoje. A previsão inicial é que Braga Netto retorne ao trabalho na segunda-feira (29). O ministro estava de férias desde a última segunda-feira (22) – o curto período de descanso, que já estava programado para terminar amanhã (26), foi autorizado pelo presidente Jair Bolsonaro, conforme despacho publicado no Diário Oficial da União do último dia 19.

  • LANCE!

    Técnico Ubirajara Veiga morre de Covid-19, aos 66 anos, em Maceió

    Treinador comandou ou ASA em 2002 e ganhou projeção nacional quando eliminou o Palmeiras na Copa do Brasil daquele ano

  • Agência Brasil

    Covid-19: Alagoas estende Fase Vermelha a todo o estado

    O governador de Alagoas, Renan Filho (MDB), assinou decreto que determina o retorno de todos os municípios do estado para a Fase Vermelha, a mais restritiva no enfrentamento à pandemia de covid-19. De acordo com Protocolo de Distanciamento Social Controlado no estado, essas fases são classificadas nas cores Vermelha, Laranja, Amarela, Azul e Verde, conforme o a piora ou melhora no indicadores de contaminação e mortes. O anúncio foi feito nesta terça-feira (16) pelo governador, em coletiva de imprensa. A Fase Vermelha terá início nesta sexta-feira (19) e vai durar 14 dias. "Na Fase Vermelha, será implantada uma restrição de horário de circulação. Nenhum cidadão em Alagoas vai poder circular depois das 21h, se não estiver a destino de cumprir alguma necessidade essencial para a sua família", destacou o governador. Esse toque de recolher será entre 21h e 6h e quem descumprir poderá ser multado. "Será vedado o acesso a praia, rios e lagos aos finais de semana, sábado e domingo. Todos esses ambientes estarão fechados para uso nesse período de 14 dias", acrescentou. Na Fase Vermelha, academias, centros de ginástica, salões de beleza e igrejas poderão funcionar com no máximo 30% da capacidade. O transporte intermunicipal fica suspenso. Escolas e universidades poderão funcionar em regime híbrido (semipresencial). Já bares e restaurantes deverão fechar o atendimento ao público, podendo apenas trabalhar com serviço de delivery e entrega de comida. O comércio em geral poderá abrir em horário reduzido. Segundo o decreto, nas áreas centrais das cidades, as lojas poderão abrir das 9h até às 17h. Nas áreas fora do centro das cidades, o funcionamento será das 10h às 18h. O objetivo é reduzir o fluxo de pessoas no transporte público. Aos sábados, domingos e segundas-feiras, o comércio fica proibido de funcionar. Ainda de acordo com Renan Filho, na Fase Vermelha os shoppings poderão funcionar, no horário entre 11h e 20h, mas ficam proibidos de abrir aos sábados, domingos e terças-feiras. Antes da ampliação das restrições, apenas as regiões Agreste e Sertão do estado estavam na fase vermelha. As regiões metropolitana de Maceió, Zona da Mata e Litoral estavam na Fase Laranja, menos restritiva. No balanço mais recente do Ministério da Saúde, o estado de Alagoas contabiliza 3.234 mortes pelo novo coronavírus, com mais de 142,5 mil pessoas infectadas desde o início da pandemia.

  • Folhapress

    Maceió e Macapá são as únicas capitais com UTIs abaixo de 80%; 16 estão próximas do colapso

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O agravamento da pandemia do novo coronavírus no país já faz com que apenas duas capitais tenham ocupação de leitos de UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) abaixo de 80%. Outras 16 se aproximam do colapso, com mais de 90% de suas vagas em uso. É o que mostra levantamento feito pelo jornal Folha de S.Paulo com todos os estados e capitais do país. Só em Maceió e Macapá o cenário não estava tão crítico no início desta semana. No início do mês, eram dez as capitais com mais de 90% de ocupação. Em outros locais, como Porto Alegre, Porto Velho, Aracaju e Rio Branco, a situação vivida nos hospitais assusta diariamente profissionais de saúde e filas por vagas viraram rotina nas três primeiras cidades. No Rio Grande do Sul, pela segunda semana seguida o índice de ocupação de UTIs ultrapassa 100%, apesar de muitos hospitais terem aberto espaços improvisados para atender pacientes graves. Em Porto Alegre, a taxa chega a 102%. Na última sexta-feira (5), a Procuradoria-Geral do Estado entrou com uma ação no STF (Supremo Tribunal Federal) para fazer com que a União retome o custeio de todos os leitos de UTI destinados ao tratamento da Covid-19. De outra ponta, o estado teve um pedido de retomada das aulas presenciais negado pelo STF semana passada. Em Porto Velho, também não há leito de UTI disponível para pacientes infectados pelo novo coronavírus. A capital de Rondônia tem 184 vagas implantadas. Com isso, pacientes estão aguardando numa fila para acessar uma vaga no hospital. Aracaju é outra capital que já tem as vagas em UTIs tomadas. Em uma semana, a ocupação de leitos públicos passou de 69% para 99%, restando só uma vaga no hospital estadual do Coração na segunda. Pacientes já aguardam dias por leitos de terapia intensiva, e a situação também é crítica na rede privada, onde 94% das vagas estão ocupadas. Atividades não essenciais estão proibidas nos finais de semana e entre 22h e 5h, nos dias úteis. Já Rio Branco chegou a 99% de taxa de ocupação na segunda (8), com apenas um leito de UTI livre. Apesar do avanço da doença, o governo adiou para sábado (13) o início do cumprimento das medidas restritivas aos finais de semana, quando restaurantes, bares e supermercados estarão proibidos de oferecer atendimento presencial, funcionando só por delivery. Além da lotação dos leitos, o estado ainda enfrenta aumento nos casos de dengue e enchentes com o transbordamento dos rios, que desalojaram dezenas de famílias. Em todos os estados do Centro-Oeste a situação também está crítica. Em Goiânia, dos 257 leitos existentes, 98% também estão ocupados, índice que repete a média estadual, mesmo com a implantação de novos leitos. Em Cuiabá e na região da Baixada, que inclui Várzea Grande, há 258 leitos, incluindo municipais e federais, com ocupação de 95%. Há uma semana, era de 83%. O hospital municipal São Benedito, em Cuiabá, por exemplo, estava com as 40 vagas exclusivas para Covid-19 ocupadas na última segunda. No estado, a ocupação passou de 87% para 97% em uma semana. Já em Campo Grande, o índice avançou e já está em 91% e, no Distrito Federal, que enfrenta o auge da crise, 93,2%. O governador do DF, Ibaneis Rocha (MDB), decretou toque de recolher das 22h às 5h na segunda (8), até o dia 22. Na terça (9), decretou estado de calamidade pública. Além de Porto Alegre, as outras duas capitais da região Sul, Curitiba e Florianópolis, apresentam altos índices de ocupação de leitos, 96%. Nesta terça a central de leitos registrava que 123 pessoas aguardavam por vagas na capital paranaense e na região metropolitana. A secretária municipal de Saúde, Márcia Huçulak, anunciou que sete UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento) passarão a fazer a retaguarda de hospitais para internamentos em enfermaria. "O risco de contaminação é muito alto, então estamos clamando para que as pessoas não vão para as UPAs com sintomas leves ou outras doenças." No estado, que tem 97% de ocupação, há mais de mil pessoas à espera de vagas. Além de lidar com a rotina de atendimento, o auxiliar de enfermagem Sidirley Blanck, de Corbélia, cidade de 17 mil habitantes da região oeste do estado, viveu a agonia da espera por UTI para sua prima, Silvia Lauxen, que ficou quatro dias intubada em um espaço improvisado no hospital. Só na segunda-feira ela conseguiu uma vaga em Nova Aurora, a 40 km. "O nível da pandemia da Covid-19 está dia a dia pior, não esperava que fosse chegar nessa proporção. Os municípios estão fazendo o máximo de ações para que isso diminua, mas, de outro lado, grande parte da população não está entendendo a gravidade dessa doença", disse. O cenário é parecido em Santa Catarina, onde 96% dos leitos estão em uso na capital e no restante do estado. Nesta terça, havia apenas sete vagas em UTIs em hospitais de Florianópolis. No Nordeste, São Luís, Recife e Natal têm 95% de vagas em UTIs ocupadas. Na capital maranhense, há apenas nove leitos livres e, para conter o avanço da doença, foram suspensas as aulas presenciais em escolas e universidades públicas ou privadas e o horário de funcionamento do comércio foi limitado das 9h às 21h. No Rio Grande do Norte, dos 299 leitos disponíveis na rede estadual, 92% estão ocupados, enquanto na região metropolitana de Natal a ocupação chega a 95%. "Não vou iludir a população afirmando que basta abrir leitos. É imperativo que a gente adote o isolamento social", afirmou a governadora Fátima Bezerra (PT) na última sexta. Em João Pessoa, o índice subiu para 90%, enquanto Fortaleza se manteve em 87%. Salvador tem 85% e Teresina, 84%. No Sudeste, 82% dos leitos na capital paulista estão ocupados e dois hospitais municipais chegaram a 100% de ocupação na terapia intensiva: Brigadeiro e José Soares Hungria (Pirituba). No Rio, a ocupação das UTIs públicas era de 93% na segunda, com 16 pacientes aguardando transferência. Em Minas Gerais, Belo Horizonte voltou a autorizar a abertura apenas de serviços essenciais para evitar que a rede fique lotada (está em 86%). No Espírito Santo, a região metropolitana de Vitória chegou a 80% na taxa de ocupação de leitos. "É preciso que a gente compreenda que a abertura de leitos não é a solução definitiva. Precisamos interromper a cadeia de transmissão do vírus, enquanto a gente não tiver vacina para todos", afirmou o governador Renato Casagrande (PSB) durante a entrega de 20 leitos de UTI no fim de semana. Em Palmas há apenas três leitos de UTI livres para o tratamento de doentes da Covid-19, o que fez a prefeitura suspender o funcionamento das atividades não essenciais, missas e cultos. Após a abertura de 40 leitos, o índice em Belém caiu de 84% para 82%. "Antes de abrir mais leitos precisamos adequar o atendimento a quem já está no hospital. Faltam respiradores, material de intubação e até máscara N95. Não está faltando oxigênio, mas a alta demanda fez com que os pontos de oxigênio não sejam mais suficientes em alguns hospitais, que precisam transferir os pacientes para outras unidades onde ele possa receber esse suporte", disse o médico Wilson Machado, diretor de comunicação do sindicato da categoria no Pará. Em Manaus, que começou a flexibilizar as medidas de restrição ao comércio em 15 de fevereiro, a abertura de novos leitos não evitou o aumento na taxa de ocupação das UTIs entre o dia 1º e a última segunda, quando 90% das vagas estavam ocupadas. Nas duas capitais com índices abaixo de 80%, porém, o cenário não é de tranquilidade, já que houve avanço em relação à semana anterior na ocupação de leitos. Em Maceió, passou de 64% para 73%, e em Macapá, de 72% para 75%.

  • Canaltech

    Surto de COVID-19 em bebês interdita UTI neonatal em Maceió

    Em Maceió, 15 recém-nascidos testaram positivos para a COVID-19 em UTI para bebês na segunda-feira (8). Com o surto, a ala do hospital foi interditada e os pacientes saudáveis foram transferidos para evitar novas transmissões do coronavírus

  • Extra

    Bruna Marquezine e Enzo Celulari posam com fã durante viagem a Alagoas

    Engrenou mesmo o romance. Bruna Marquezine e Enzo Celulari passaram o fim de semana juntos em São...

  • Reuters

    Usina Coruripe reverte prejuízo em 9 meses de 20/21 e prevê resultado recorde

    SÃO PAULO (Reuters) - A produtora de açúcar e etanol Usina Coruripe registrou lucro líquido de 370,9 milhões de reais nos nove primeiros meses da temporada 2020/21, revertendo --com aposta em uma produção mais açucareira-- o prejuízo de 40,8 milhões visto no mesmo período do ano anterior, informou a companhia nesta segunda-feira. Somente entre outubro e dezembro do ano passado, o terceiro trimestre da atual safra, o lucro líquido da empresa do grupo Tércio Wanderley somou 343 milhões de reais, aumento de 13,43% na comparação anual.

  • LANCE!

    CRB vence o Coruripe por W.O. na estreia do Campeonato Alagoano

    De acordo com o regulamento do Estadual de Alagoas, o Galo ficou com os três pontos e venceu a partida pelo placar de 3 a 0