Assunto

Eleições Municipais de 2020 para prefeito e vereador

Eleições Municipais de 2020 para prefeito e vereador

  • AFP

    Vizcarra convoca eleições no Peru para abril de 2021

    O presidente peruano, Martín Vizcarra, convocou nesta quarta-feira (8) eleições presidenciais e legislativas conjuntas para abril do próximo ano, para as quais não concorrerá, o que marca o início formal do processo eleitoral de cinco anos no Peru.

  • Bloomberg

    Investidor deve fazer hedge para eleições nos EUA, diz Goldman

    (Bloomberg) -- O Goldman Sachs recomenda que investidores se preparem para a volatilidade durante as eleições de novembro nos EUA, pois o coronavírus traz uma “grande complicação” à tabulação dos resultados. O banco aconselha estender estratégias de hedge até os vencimentos em dezembro.O Goldman destaca que o atraso dos resultados das eleições primárias indica um precedente, por isso o banco prefere “hedges de dezembro aos hedges de novembro”, disseram estrategistas liderados por David Kostin em relatório de 7 de julho. “Dado o atraso de várias semanas na finalização dos resultados da eleição presidencial de 2000 (além da contenciosa eleição de 1876), o elevado volume de cédulas por correio nas recentes eleições primárias e o potencial para o aumento das cédulas por correio em novembro, vemos um maior risco de que a volatilidade relacionada às eleições possa se estender além do ‘Election Day’.”Segundo a precificação atual do mercado, o candidato democrata Joe Biden vai ficar com a Casa Branca, e os democratas devem conseguir o controle do Senado e manter a maioria na Câmara dos Deputados, disse Kostin. As probabilidades atuais equivalem a 62% para Biden, 61% para o Senado e 85% para a Câmara dos Deputados, em comparação com 43% para a Casa Branca, 30% para o Senado e 61% para a Câmara no final de fevereiro, segundo o Goldman.Estrategistas do UBS citam várias diferenças em potencial entre os candidatos: Reeleito, Trump “focaria na desregulamentação, uma abordagem ‘America First‘ para o comércio internacional e reduções de impostos (que podem consistir em se tornar permanentes e talvez expandir as reduções na Lei de Cortes de Tributos e Geração de Empregos de 2017)”, disseram. Biden “procuraria aumentar os gastos com a mitigação da mudança climática, expandir o acesso a serviços de saúde financiados pelo governo federal e aumentar os impostos para empresas e pessoas de alta renda”.For more articles like this, please visit us at bloomberg.comSubscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.©2020 Bloomberg L.P.

  • AFP

    China tem 'preferências' para as eleições nos EUA, diz diretor do FBI

    A China tem "preferências" para as próximas eleições presidenciais nos Estados Unidos, afirmou o diretor do FBI nesta terça-feira (7), revelando que a Polícia Federal americana abre uma investigação sobre contraespionagem em que Pequim está envolvida "a cada dez horas".

  • Valor Econômico

    Congresso oficializa mudança de data das eleições municipais para novembro

    O Congresso Nacional realizou na manhã desta quinta-feira sessão especial de promulgação da emenda constitucional (PEC) que adia as eleições municipais de outubro para novembro. A mudança foi chancelada pelo Senado na semana passada e ontem pela Câmara dos Deputados. O primeiro turno ocorrerá em 15 de novembro e o segundo turno, nas cidades onde ocorrer, em 29 de novembro. As datas anteriores eram 4 e 25 de outubro. A campanha eleitoral, que teria início em 16 de agosto, iria para 26 de setembro. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, convidado da cerimônia, lembrou que o adiamento da eleição em seis semanas ocorre atendendo a recomendações de especialistas e entidades médicas. “É a capacidade de mesmo na divergência, construirmos as soluções. Teremos a missão árdua de realizar a eleição com segurança em meio da pandemia. Queremos realizar as eleições mais seguras e limpas possíveis. Tenho convicção que pessoas e países passam pelo que têm de passar e que a situação nos ajudará a fazer um país maior e melhor”. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), exaltou o papel de Barroso na busca de uma solução. Só o entendimento e a conciliação farão das instituições o que a sociedade espera de nós. Sem dúvida a atitude do senhor, de buscar o diálogo, foi fundamental”.

  • Agência Brasil

    Congresso promulga emenda que adia eleições municipais para novembro

    Em uma sessão do Congresso Nacional concorrida, com parte de autoridades presentes presencialmente e parte de forma remota, foi promulgada nesta quinta-feira (2) a Emenda Constitucional 107, que adia as eleições municipais de outubro para novembro deste ano.Aprovada pela Câmara dos Deputados ontem (1º), a mudança determina que os dois turnos eleitorais, inicialmente previstos para os dias 4 e 25 de outubro, serão realizados nos dias 15 e 29 de novembro. A mudança define ainda que caberá ao Congresso decidir sobre o adiamento das eleições por um período ainda maior nas cidades com muitos casos da doença.A emenda também estabelece novas datas para outras etapas do processo eleitoral de 2020, como registro de candidaturas e início da propaganda eleitoral gratuita. Não haverá, porém, prorrogação dos atuais mandatos. A data da posse dos eleitos permanece inalterada, 1º de janeiro de 2021.Ao participar presencialmente da sessão o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, exaltou a união de esforços do Legislativo e do Judiciário em torno de uma solução pela segurança do pleito e pela democracia. Barroso destacou que a promulgação da emenda constitucional, por causa da pandemia do novo coronavírus é algo que ninguém desejava que tivesse acontecido e se associou às manifestações de solidariedade às mais de 60 mil famílias de pessoas que perderam a vida em decorrência da covid-19.O ministro que mesmo antes de assumir a presidência da corte no mês passado, já trabalhava para um entendimento sobre o adiamento das eleições municipais com base em pareceres de especialistas médicos, biólogos e físicos, agradeceu a ajuda desses profissionais. Barroso também elogiou muito os parlamentares que, segundo ele, deliberaram com ênfase no interesse público. Barroso avaliou ainda que a democracia não é regime de consenso, mas de dissenso e lembrou que o Congresso fez sua parte, caberá à Justiça Eleitoral realizar a eleição com segurança em meio a uma pandemia, o que segundo ele, será possível.O presidente do Congresso, Davi Alcolumbre (DEM-AP), destacou que prevaleceu o entendimento no Congresso, “dialogando com o TSE, a comunidade científica, prefeitos e vereadores”. “Sem dúvida a decisão de Vossa Excelência de buscar essa conciliação respeitosa foi o grande passo para que estivéssemos aqui hoje”, acrescentou. Para ele, os 42 dias de adiamento das eleições municipais este ano serão fundamentais para que o TSE , o governo e o Congresso possam organizar os procedimentos para o dia do pleito. Nesse sentido, ele lembrou que os Poderes estão em contato com a iniciativa privada para conseguir doação de equipamentos de proteção individual (EPis) “aos brasileiros que vão servir a pátria”.Ouça na Radioagência Nacional:

  • Reuters

    Congresso promulga emenda constitucional que adia eleições municipais para novembro

    A emenda transfere, em caráter excepcional, o pleito para os dias 15 e 29 de novembro

  • AFP

    Por causa da pandemia, eleições municipais são adiadas para novembro

    O Congresso decidiu nesta quarta-feira (1) adiar de outubro para novembro as eleições municipais devido à pandemia do novo coronavírus.

  • BBC News Brasil

    Congresso aprova adiamento das eleições municipais para novembro

    PEC transfere o primeiro turno da votação de 4 de outubro para 15 de novembro, e o segundo turno, de 25 de outubro para 29 de novembro.

  • Agência Brasil

    Adiamento das eleições municipais para novembro é aprovado na Câmara

    A Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (1º), em dois turnos, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que adia em seis semanas as eleições municipais deste ano em razão da pandemia de covid-19. A matéria deve ser promulgada em sessão do Congresso Nacional nesta quinta-feira (2), às 10h. Dessa forma, o primeiro turno das eleições municipais será adiado de 4 de outubro para o dia 15 de novembro. A data do segundo turno passa para o dia 29 de novembro.  “Aprovada na @camaradeputados  PEC que adia as eleições municipais para novembro. Amanhã (2), às 10h, o Congresso promulgará a emenda constitucional. Mais uma vez, o entendimento prevaleceu no Parlamento, dialogando com o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), a comunidade científica, prefeitos e vereadores”, postou o presidente do Congresso Nacional, senador Davi Alcolumbre, em sua conta pessoal no Twitter.> Aprovada na @camaradeputados PEC que adia as eleições municipais para novembro. Amanhã (2), às 10h, o Congresso promulgará a emenda constitucional. Mais uma vez, o entendimento prevaleceu no Parlamento, dialogando com o TSE, a comunidade científica, prefeitos e vereadores.> > — Davi Alcolumbre (@davialcolumbre) July 1, 2020 TSEA proposta confere ao TSE a prerrogativa de definir os horários de funcionamento das sessões eleitorais, bem como eventuais medidas de distribuição dos eleitores nas sessões para minimizar os riscos de aglomeração nos dias de votação. “A opção parece ser a mais acertada, por assegurar tanto a realização das eleições ainda neste ano de 2020, sem a necessidade de alteração dos mandatos dos atuais prefeitos e vereadores e dos próximos mandatários”, argumentou o relator, deputado Jhonatan de Jesus (Republicanos-RR).Na votação desta quarta-feira, deputados suprimiram um trecho da PEC oriunda do Senado e estabeleceram a necessidade de autorização, por meio de decreto legislativo aprovado pelo Congresso Nacional, para a eventual remarcação das eleições em determinados municípios. O adiamento se dará em municípios nos quais ainda se verifiquem condições sanitárias arriscadas e só poderão ocorrer até 27 de dezembro de 2020. Inicialmente, a PEC previa que essa decisão caberia ao TSE.Deputados também retiraram do texto a determinação para que o TSE promovesse eventual adequação das resoluções que disciplinam o processo eleitoral de 2020. No entendimento dos parlamentares, essas normas já estão aprovadas desde março e não podem ser alteradas.  CalendárioA medida não prevê modificação no tempo de mandato dos cargos eletivos. Dessa forma, a data da posse dos eleitos permanece a mesma, em 1º de janeiro de 2021. Os prazos de desincompatibilização vencidos não serão reabertos.Segundo o texto aprovado, até 16 de setembro, os partidos devem escolher os candidatos por meio das convenções e, até 26 de setembro, serão aceitos os registros dos candidatos. Também em 26 de setembro, está autorizado o início da propaganda eleitoral, inclusive na internet. Até 27 de outubro, as legendas deverão detalhar os gastos com o Fundo Partidário e, até 15 de dezembro, prestar contas ao TSE.O texto aprovado permite ainda a realização, no segundo semestre deste ano, de propagandas institucionais relacionadas ao enfrentamento da pandemia de coronavírus, resguardada a possibilidade de apuração de eventual conduta abusiva, nos termos da legislação eleitoral.

  • HuffPost Brasil

    Câmara aprova PEC que adia eleições municipais para novembro devido à Covid-19

    “Estamos convencidos de que a alteração do calendário eleitoral de 2020 é medida necessária no atual contexto da emergência de saúde pública", explica o relator da PEC, deputado Jhonatan de Jesus.

  • 0

COMPARTILHE ESTA PÁGINA