Assunto

LQBTQIA+ | Notícias de diversidade e inclusão

Vídeos: Tudo sobre inclusão e diversidade

Andressa Urach revela que igreja tentou afastá-la de amigos gays

Modelo saiu da Igreja Universal em novembro
  • 00:58
  • 16:44
  • 01:39
  • 05:02
  • 01:45
  • 01:17
  • 01:16
  • 05:27
  • 00:44
  • 03:58
  • LANCE!

    'A torcida do futebol não tem só um tipo de pessoa. Temos de entender a diversidade', diz Rodrigo Moreira, do Comitê de Inclusão do Cruzeiro

    O gestor falou com exclusividade sobre os desafios de ter uma ação contínua na Raposa para entender melhor o seu torcedor que vai além de um padrão estético e social

  • Yahoo Vida e Estilo

    Will Smith já deixou de gravar cena por causa de beijo gay: "foi imaturo"

    Ator admitiu anos depois que não foi profissional no filme “Seis Graus de Separação”

  • Yahoo Notícias

    Homens negros têm mais riscos de morrer de câncer de próstata que os brancos

    Apesar de não haver nenhuma diferença biológica, médicos alertam para a falta de um diagnóstico precoce, desigualdades sociais e tabus sobre o cuidado com a saúde

  • Yahoo Notícias

    Muito amor e pé na porta: Quilombo Periférico quer levar representatividade e luta para a Câmara de Vereadores de São Paulo

    Formado por seis pessoas de locais diferentes de São Paulo, mandato coletivo se pauta no antirracismo e na representatividade

  • Bloomberg

    Setor financeiro de Londres é cobrado por diversidade no comando

    (Bloomberg) -- Apesar de todos os discursos apaziguadores dos líderes da indústria financeira do Reino Unido, uma força de trabalho verdadeiramente diversificada no setor pode levar anos - senão décadas - para ser formada.Na esteira dos protestos do movimento Black Lives Matter neste ano, executivos do setor correram para prometer uma equipe mais representativa. Muito do que fizeram até agora, no entanto, foi contratar pessoas negras para cargos de estagiário e júnior, em vez de criar planos de diversidade em toda a empresa, inclusive em níveis seniores. Com isso, críticos sugerem que o setor está apenas cumprindo regras e tentando alcançar diversidade de forma barata.“Temos muito apoio para iniciantes e suporte a pessoas de diferentes origens sociais e educacionais, mas esse apoio depois diminui”, disse Gina Miller, nascida na Guiana e sócia-fundadora da empresa de gestão de patrimônio SCM Direct e ativista antiBrexit. “Isso tem que ser sustentado por todas as organizações.”Gestores de ativos precisam fazer mais do que apenas elogiar a diversidade, porque os retardatários correm risco de rebaixamento por consultores de investimento e podem perder altos retornos gerados por equipes que melhor representam a sociedade, disse Sarah Jane Mahmud, analista sênior da Bloomberg Intelligence.Os números de diversidade do setor pouco fazem para melhorar sua reputação. Os negros representam menos de 1% dos gestores de investimento no Reino Unido em comparação com 3% da população em geral e mais de 13% em Londres, onde a maior parte da indústria está concentrada, de acordo com a Investment Association.E não é por falta de candidatos qualificados. Mais de 65% dos profissionais negros no Reino Unido têm diplomas, de mestrado ou doutorado, em comparação com 52% dos funcionários brancos, de acordo com relatório recente com base em uma pesquisa.For more articles like this, please visit us at bloomberg.comSubscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.©2020 Bloomberg L.P.

  • Yahoo Notícias

    Festa realizada no interior de São Paulo é investigada por apologia a símbolos de supremacia branca

    Investigação feita pela Defensoria Pública decorre de uma denúncia da deputada estadual Erica Malunguinho (PSOL), que aponta ligação de bandeira “dixie” com ideais racistas

  • Reuters

    Carrefour Brasil reverterá vendas nesta quinta e sexta para medidas de diversidade e inclusão

    SÃO PAULO (Reuters) - O Carrefour Brasil comunicou que todo o resultado de vendas desta quinta-feira e da sexta-feira será revertido para ações orientadas pelo recém-formado Comitê Externo de Livre Expressão sobre Diversidade e Inclusão.A criação do comitê é uma das medidas adotadas pelo grupo após João Alberto Silveira Freitas ser espancado até a morte no último dia 19 por seguranças que atuavam em uma loja da rede em Porto Alegre (RS).

  • Folhapress

    Senado aprova projeto de lei que aumenta pena para crime motivado por racismo e homofobia

    BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - O Senado aprovou nesta quarta-feira (25) um projeto de lei que aumenta a pena para crimes motivados por racismo e homofobia. O projeto aprovado pelos senadores alterou o Código Penal brasileiro --decreto-lei 2;848, de 1940-- para incluir no rol de agravantes de pena os crimes cometidos por "motivo de discriminação, preconceito de raça, cor, etnia, religião, procedência nacional ou orientação sexual". A proposta foi aprovada de maneira simbólica pelos senadores. A matéria agora segue para a Câmara dos Deputados. Caso seja novamente aprovada, sem alterações, seguirá para a sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O projeto original do senador Paulo Paim (PT-RS) previa apenas listar como agravante as motivações por discriminação e preconceito de raça. No entanto, foi ampliado pelo relator Rodrigo Pacheco (DEM-MG). Durante a sessão, também foram incluídos no rol de agravantes os crimes por motivo de "orientação sexual", um pedido do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), que foi acatado pelo relator. Paim inicialmente se mostrou contrário à ampliação do rol de agravantes, argumentando que poderia se perder o foco da matéria. "Vamos votar projeto sobre mulheres e vamos incluir Deus e o mundo [no projeto]. Desaparece o motivo principal", afirmou. O senador, no entanto, afirmou que apoiaria a inclusão, caso assim fosse decidido pelos demais senadores. Ao alterar o Código Penal para incluir como agravante os crimes motivados por racismo, na prática, a proposta aumenta a pena dos condenados. Esse aumento depende da interpretação do juiz, mas é comum que o acréscimo seja de um terço. O projeto original foi protocolado em 2015 e estava pronto para votação --com relatório finalizado, embora não lido. No entanto, não era incluído na pauta para votação Inicialmente, sua análise não estava prevista para a sessão desta quarta-feira. O texto foi incluído de última hora a pedido do autor, que ganhou o apoio dos demais senadores. O racismo esteve no centro dos debates nos últimos dias, após a morte de João Alberto Freitas, 40. Conhecido como Beto Freitas, ele foi espancado e morto por dois seguranças em uma unidade do Carrefour em Porto Alegre (RS), na noite da última quinta-feira (19). A Câmara dos Deputados instalou também nesta quarta-feira (25) uma comissão externa para acompanhar a investigação da morte de Beto Freitas. A comissão é coordenada pelo deputado Damião Feliciano (PDT-PB), autor do requerimento de criação do colegiado no último dia 20, Dia Nacional da Consciência Negra. Além dele, compõem o colegiado os deputados Bira do Pindaré (PSB-MA), Benedita da Silva (PT-RJ), Silvia Cristina (PDT-RO), Áurea Carolina (PSOL-MG), Orlando Silva (PCdoB-SP), Vicentinho (PT-SP) e Maria do Rosário (PT-RS). "A ideia da Câmara dos Deputados é que a gente possa acompanhar a investigação, mas, acima de tudo, formatar leis que possam diminuir o racismo institucional e o racismo estrutural", afirmou Feliciano. Na próxima terça (1), os congressistas vão a Porto Alegre para audiências com o governador do estado, Eduardo Leite (PSDB), com o comando da Polícia Militar, com o Ministério Público Estadual, com a Superintendência da Polícia Federal, com o Tribunal de Justiça e com o presidente do Carrefour Brasil, Noël Prioux. A ideia também é conversar com familiares de Beto Freitas e com movimentos sociais. "A ideia é fazer com que as empresas que cometerem racismo institucional possam ser punidas, tirando isenção de impostos, o acesso a empréstimos públicos, que elas não possam participar daquilo que for do público", afirmou Feliciano. " "Vamos diminuir a questão institucional do racismo dentro do poder público formatando leis para que empresas sejam punidas economicamente e, assim, possam respeitar o negro. Estamos falando da morte de um cliente, mas outros são constrangidos todos os dias." Segundo o deputado Orlando Silva, parte dos esforços será mapear todos os projetos tramitando no Congresso com sentido antirracista. "Assim, a Câmara terá uma pauta contra racismo que vá além do caso João Alberto."

  • Yahoo Notícias

    Negros não eleitos para as câmaras municipais se mantêm ativos na política e de olho em 2022

    Defensores de políticas voltadas para grupos minorizados, eles relatam que falta de investimento dos partidos foi o maior empecilho para o sustento de suas campanhas

  • Extra

    Fórum promove debate on-line sobre representatividade e diversidade racial no setor público

    Acontece nesta quarta-feira, a partir das 17h, o fórum on-line “Onde Estão os Negros no Serviço...

COMPARTILHE ESTA PÁGINA