Assunto

Investimentos e mercado financeiro últimas notícias

Mercado Pago é confiável? Entenda como funciona a plataforma

  • Mercado Pago é uma das plataformas mais populares atualmente de pagamentos digitais, sendo muitas vezes uma das principais escolhas entre usuários para realizar transações financeiras, receber pagamentos e utilizar linha de crédito. Entenda como funciona o Mercado Pago

Vídeo: Notícias do mercado financeiro

Negras são minoria no mercado de trabalho

Menos da metade das mulheres negras brasileiras exerce trabalho remunerado e só 8% das que trabalham no mercado formal ocupam cargos de gerente, diretora ou sócia, diz a pesquisa feita pela consultoria Indique Uma Preta e pela empresa Box1824. Os dados mostram a importância de as empresas estarem atentas à diversidade não só na contratação, mas na evolução da carreira.
  • 02:01
  • 01:55
  • 01:38
  • 01:37
  • 01:37
  • 01:59
  • 00:57
  • 01:46
  • 01:23
  • 01:15
  • Canaltech

    Mercado Pago é confiável? Entenda como funciona a plataforma

    Mercado Pago é uma das plataformas mais populares atualmente de pagamentos digitais, sendo muitas vezes uma das principais escolhas entre usuários para realizar transações financeiras, receber pagamentos e utilizar linha de crédito. Entenda como funciona o Mercado Pago

  • Folhapress

    Números do mercado financeiro

    DÓLAR compra/venda Câmbio livre BC - R$ 5,3488 / R$ 5,3494 ** Câmbio livre mercado - R$ 5,3250 / R$ 5,3270 * Turismo - R$ 5,343 / R$ 5,477 (*) cotação média do mercado (**) cotação do Banco Central Variação do câmbio livre mercado no dia: -0,180% OURO BM&F R$ 304,80 BOLSAS Bovespa (Ibovespa) Variação: 0,32% Pontos: 110.575 Volume financeiro: R$ 27,739 bilhões Maiores altas: Eztec ON (6,00%), Suzano S.A ON (3,99%), Klabin UNT (3,67%) Maiores baixas: Cogna ON (-3,93%), Via Varejo ON (-3,75%), IRB Brasil ON (-3,54%) S&P 500 (Nova York): 0,24% Dow Jones (Nova York): 0,13% Nasdaq (Nova York): 0,92% CAC 40 (Paris): 0,56% Dax 30 (Frankfurt): 0,37% Financial 100 (Londres): 0,07% Nikkei 225 (Tóquio): 0,40% Hang Seng (Hong Kong): 0,28% Shanghai Composite (Xangai): 1,14% CSI 300 (Xangai e Shenzhen): 1,24% Merval (Buenos Aires): 1,77% IPC (México): -1,74% ÍNDICES DE INFLAÇÃO IPCA/IBGE Outubro 2019: 0,10% Novembro 2019: 0,51% Dezembro 2019: 1,15% Janeiro 2020: 0,21% Fevereiro 2020: 0,25% Marco 2020: 0,07% Abril 2020: -0,31% Maio 2020: -0,38% Junho 2020: 0,26% Julho 2020: 0,36% Agosto 2020: 0,24% Setembro 2020: 0,64 Outubro 2020: 0,86% INPC/IBGE Outubro 2019: 0,04% Novembro 2019: 0,54% Dezembro 2019: 1,22% Janeiro 2020: 0,19% Fevereiro 2020: 0,17% Março 2020: 0,18% Abril 2020: -0,23% Maio 2020: -0,25% Junho 2020: 0,30% Julho 2020: 0,44% Agosto 2020: 0,36% Setembro 2020: 0,87% Outubro 2020: 0,89% IPC/Fipe Outubro 2019: 0,16% Novembro 2019: 0,68% Dezembro 2019: 0,94% Janeiro 2020: 0,29% Fevereiro 2020: 0,11% Março 2020: 0,10% Abril 2020: -0,30% Maio 2020: -0,24% Junho 2020: 0,39% Julho 2020: 0,25% Agosto 2020: 0,78% Setembro 2020: 1,12% Outubro 2020: 1,19% IGP-M/FGV Outubro 2019: 0,68% Novembro 2019: 0,30% Dezembro 2019: 2,09% Janeiro 2020: 0,48% Fevereiro 2020: -0,04% Março 2020: 1,24% Abril 2020: 0,80% Maio 2020: 0,28% Junho 2020: 1,56% Julho 2020: 2,23% Agosto 2020: 2,74% Setembro 2020: 4,34% Outubro 2020: 3,23% IGP-DI/FGV Outubro 2019: 0,55% Novembro 2019: 0,85% Dezembro 2019: 1,74% Janeiro 2020: 0,09% Fevereiro 2020: 0,01% Março 2020: 1,64% Abril 2020: 0,05% Maio 2020: 1,07% Junho 2020: 1,60% Julho 2020: 2,34% Agosto 2020: 3,87% Setembro 2020: 3,30% Outubro 2020: 3,68% SALÁRIO MÍNIMO Janeiro 2020: R$ 1.039,00 Fevereiro 2020: R$ 1.045,00

  • Agência Brasil

    Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro

    A partir de janeiro de 2021, as corretoras e as distribuidoras de títulos e valores mobiliários poderão prestar serviço de pagamentos aos clientes. A resolução do Conselho Monetário Nacional (CMN) foi aprovada ontem (26), e divulgada hoje (27) pelo Banco Central (BC). Atualmente, os clientes mantêm contas de registros nas corretoras e distribuidoras, por meio das quais podem fazer aplicações em títulos públicos federais, em instrumentos privados de renda fixa e na bolsa de valores. Segundo o BC, as instituições financeiras poderão optar por manter as contas de registro ou migrarem para o modelo de contas de pagamento, que permite, por exemplo, a quitação de boletos. De acordo com o Banco Central, a ampliação do escopo de atuação das corretoras e das distribuidoras pretende estimular a concorrência entre os prestadores de serviços de pagamento. A medida, informou a autoridade monetária, também pretende aperfeiçoar a gestão de recursos no segmento de intermediação e ampliar as fontes de receitas dessas instituições, também chamadas de sociedades de intermediação. O CMN determinou que os recursos não usados pelos clientes constituem patrimônio separado das instituições financeiras, mas deverão ser aplicados em títulos públicos federais ou mantidos como disponibilidades.  “Independentemente da modalidade escolhida, os recursos mantidos nas contas, enquanto não comprometidos com a liquidação de operações em nome dos clientes, deverão ser aplicados em títulos públicos federais ou mantidos como disponibilidades pelas sociedades de intermediação”, explicou o BC em nota. Segundo a autoridade monetária, a medida deve incentivar a concorrência entre prestadores de serviços de pagamento, além de ampliar o escopo de atuação das sociedades corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários e aprimorar a gestão de recursos no segmento de intermediação. Open banking O CMN também decidiu adiar o início do cronograma de implementação do open banking para 1º de fevereiro de 2021. O prazo para a primeira etapa acabaria na próxima segunda-feira (30). Por meio do open banking, os clientes terão o poder sobre as informações levantadas pelas instituições financeiras, como dados cadastrais e histórico de transações. De posse desses dados, os clientes poderão procurar outros bancos e incentivar a competição por serviços e crédito mais barato e de melhor qualidade. A etapa final do open banking, que envolveria o compartilhamento de dados sobre produtos e serviços pelas instituições financeiras, passou de 25 de outubro de 2021 para 15 de dezembro do mesmo ano. Segundo o BC, o adiamento ocorreu porque o combate à pandemia do novo coronavírus (covid-19) impactou as mudanças tecnológicas necessárias nas instituições financeiras. Durante a pandemia, a Caixa teve de adaptar-se ao pagamento do auxílio emergencial, e outras instituições financeiras tiveram de implementar o Pix, novo sistema instantâneo de pagamentos, o novo registro de recebíveis de cartão e a duplicata escritural.

  • Bloomberg

    Ex-Blackstone eleito prefeito de Cartagena mira fundo de US$1 bi

    (Bloomberg) -- É o sonho secreto de muitos financistas de Wall Street: aproveitar as habilidades e contatos conquistados em anos de gestão de ativos privados e aplicá-los em algo mal administrado na esfera pública, seja uma escola ou um museu apreciado pela população.William Dau está fazendo isso em Cartagena, uma joia de paralelepípedos na costa caribenha da Colômbia, cidade onde nasceu e da qual fugiu anos atrás após ameaças de morte e para onde voltou com planos ambiciosos.Ex-vice-presidente da Blackstone, Dau disputou a prefeitura como novato e triunfou. Mas não faltam desafios. A Covid dizimou a indústria do turismo, a corrupção é endêmica e o aumento do nível do mar ameaça a própria existência da cidade.É aí que entra sua experiência em finanças. Dau, de 68 anos, recorre a headhunters internacionais para recrutar consultores e planeja estabelecer um fundo de dívida nos EUA para levantar pelo menos US$ 1 bilhão para o financiamento de infraestrutura. Para controlar o avanço do mar, ele quer atrair empresas internacionais para investir em obras de mitigação, como o projeto da Apple nas ilhas ao largo da costa para proteger os manguezais.“Ele vê seu estilo de gestão como o de um CEO que delega tarefas a seus vice-presidentes e acompanha seus resultados”, disse Ana María González, consultora do prefeito para cooperação internacional e ex-bolsista da Fundação Obama.Dau é claro sobre o que enfrenta ao tentar reerguer sua cidade de 900 mil habitantes: “Em 2020 tivemos que navegar as águas mais turbulentas, e não apenas por causa da Covid, mas por causa da corrupção desenfreada, da oposição”, disse em entrevista.Mas as possibilidades são igualmente grandes. Emoldurada por uma baía deslumbrante, Cartagena é uma das cidades coloniais mais bem preservadas da América do Sul, Patrimônio Mundial da Humanidade, com igrejas em tons pastéis, praças de azulejos e cafés ao ar livre onde o vencedor do Nobel Gabriel García Márquez desenvolveu o realismo mágico. Quando a Colômbia superou a reputação de violência e o turismo cresceu, Cartagena se tornou um destino importante.A busca de Dau em uma idade em que a maioria das pessoas se aposenta foi motivada em parte por negócios inacabados. Como advogado na cidade no início dos anos 2000, Dau condenou abertamente a corrupção, atraindo tantas ameaças de morte que pediu asilo político nos Estados Unidos.Depois de 15 anos em Nova York, Dau voltou no ano passado e concorreu a prefeito, vencendo apesar de gastar apenas US$ 70 mil na campanha.“Disse a mim mesmo que um dia voltaria para terminar a luta”, afirmou.For more articles like this, please visit us at bloomberg.comSubscribe now to stay ahead with the most trusted business news source.©2020 Bloomberg L.P.

  • Reuters

    Ações europeias encerram quarta semana consecutiva em alta; BBVA tem ganhos

    (Reuters) - As ações europeias fecharam em alta nesta sexta-feira e subiram pela quarta semana consecutiva, com os investidores olhando para além dos danos de curto prazo causados ​​pelo coronavírus e esperando por uma recuperação econômica mais rápida no próximo ano, enquanto o banco espanhol BBVA subiu após encerrar negociações para fusão com o Banco Sabadell.O índice FTSEurofirst 300 subiu 0,38%, a 1.

  • Reuters

    Governo dá aval para corretoras prestarem serviço de pagamento a partir de janeiro

    BRASÍLIA (Reuters) - O Conselho Monetário Nacional (CMN) deu aval para que corretoras e distribuidoras de títulos e valores mobiliários passem a prestar serviço de pagamento a seus clientes a partir de janeiro de 2021, conforme decisão publicada pelo Banco Central nesta sexta-feira.Em nota, o BC informou que as empresas deverão optar entre a manutenção das contas de registro, modelo hoje em vigor, e a utilização de contas de pagamento.

  • Folhapress

    Após cisão da XP, Itaú anuncia expansão da área de investimentos

    SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS0 - Um dia depois de aprovar a cisão da sua participação na corretora XP, o Itaú anunciou nesta sexta (27) que vai impulsionar sua área própria de investimentos. Pelo novo modelo, todos os clientes serão atendidos por um especialista do banco. Até então, apenas os clientes de alta renda tinham acesso ao serviço. Com a expansão, o Itaú mira a fatia de 30% a 40% de clientes que ainda não investe com o banco. A expectativa da instituição financeira é dar maior tração ao novo sistema a partir de 2021. "É algo que já estávamos pilotando ao longo desse ano e que deve ganhar uma força mais significativa a partir do ano que vem, com a criação de novos escritórios, atração de novos talentos e trazendo mais clientes para a carteira de investimentos", disse Luiz Severiano Ribeiro, diretor de private banking do Itaú. Ribeiro afirmou ainda que o banco deve adaptar os mais de 120 escritórios espalhados no país para o novo modelo, além de triplicar o time de investimentos. Itaú e XP já vinham trocando farpas ao longo deste ano. Em junho, o banco lançou uma campanha publicitária que criticava o modelo de remuneração por comissionamento -adotado pela XP na época. A corretora comprou a briga e, nos meses que se seguiram, seus sócios foram a público defender o modelo de comissionamento de agentes autônomos e chegaram a falar, mais de uma vez, que não faria sentido o Itaú ter participação na companhia se não acreditava em seu modelo de negócio. No novo modelo de assessoria de investimentos anunciado pelo banco nesta sexta-feira (27), a remuneração dos especialistas terá uma parte fixa e uma parte variável, que será baseada na rentabilidade do cliente, na captação trazida e no índice de satisfação dos atendidos. Segundo o diretor de investimentos do Itaú, Cláudio César Sanches, esse é o método de remuneração que apresenta melhores resultados. "Somos muito responsáveis na questão de suitability [perfil do investidor], só indicamos o que de fato aguentam [de risco], não há imposição de produtos. Essa remuneração tem um alinhamento muito grande com o que o cliente quer e com o que a gente recomenda", afirmou. O novo modelo de assessoria para pessoas físicas vai correr em paralelo com a plataforma de investimentos íon, anunciada pelo banco no final de outubro e que deverá ser expandida para não clientes no primeiro semestre de 2021. "O íon é um aplicativo especialista. Então o cliente que buscar informações e notícias de investimentos e mais detalhes de rentabilidade, vai para esse aplicativo. Mas tudo o que for mais relevante voltado para a aplicação, resgate, recomendação, suitability e toda a parte full bank [banco completo] continua no nosso aplicativo normal do banco", disse Sanches. Atualmente, o Itaú tem cerca de 6.200 gerentes de relacionamento e 4,7 milhões de clientes nos segmentos de alta e média renda. Ao todo, o banco administra mais de R$ 1,2 trilhão de ativos de clientes pessoas físicas.

  • Reuters

    Suzano anuncia alta de preços de celulose na China, diz BTG

    SÃO PAULO (Reuters) - A Suzano anunciou a clientes de celulose na China aumento no preço da empresa da ordem de 30 dólares por tonelada, o que leva o valor da commodity usada na produção de papel para 500 dólares, segundo relatório do BTG Pactual que cita Risi.No final de outubro, executivos da companhia afirmaram que a empresa estava "cautelosamente otimista" sobre a demanda por celulose em 2021 e que a empresa tinha conseguido implementar um aumento de 20 dólares na tonelada vendida à China naquele mês.

  • Folhapress

    Crédito às empresas cai 4,8% em outubro, diz Banco Central

    BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Os bancos emprestaram menos às empresas em outubro, na comparação com setembro. No período, houve queda de 4,8% na concessão de novos créditos, segundo dados divulgados pelo BC (Banco Central) nesta sexta-feira (27). A redução foi puxada por capital de giro, com contração de 13,4% no mês. A linha é a mais importante para empresas e é a que representa maior volume entre as concessões para as companhias. Nos últimos meses, o crédito às empresas tem se elevado em razão de linhas emergenciais do governo para fazer frente à crise gerada pela pandemia, como o Pronampe (Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte). Em desconto de duplicatas e antecipação de recebíveis, modalidades usadas por comerciantes e que precisam de vendas para gerar garantia, houve retração de 9,3% e 2,4%, respectivamente. Com isso, no acumulado do ano, empréstimos novos para pessoas jurídicas aumentaram 13,1%. Em contrapartida, a concessão de crédito para as famílias aumentou 3,2% em outubro. Os brasileiros buscaram recursos principalmente no consignado, que é descontado diretamente na folha de pagamento, com aumento de 13,8% no mês. Para beneficiários do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social), a modalidade teve alta de 65,3%. Linhas ligadas ao consumo também aumentaram. O uso do cartão de crédito à vista subiu 5,5%. As modalidades rotativas também cresceram no mês. O rotativo do cartão, quando o cliente não paga o total da fatura, subiu 2,9%. Houve alta nas concessões do rotativo regular (quando o cliente paga acima do mínimo da fatura), de 8,4% e do parcelamento do cartão, de 8,6%. No acumulado do ano, novos empréstimos para pessoas físicas cresceram 0,7%. Em outubro, os bancos emprestaram R$ 353 bilhões para empresas e famílias, redução de 0,6% em relação a setembro. No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2019, as concessões cresceram 5,6%. As variações mensais são registradas com ajuste sazonal, que retira peculiaridades do período, como número de dias úteis a mais ou a menos, para facilitar a comparação. O saldo das operações de crédito, que contabiliza toda a carteira do sistema financeiro, somou R$ 3,9 trilhões em outubro, alta de 1,4% no mês (1,7% em pessoas físicas de 1% na carteira de pessoas jurídicas). Em doze meses, o crescimento do estoque foi de 14,5% (21,1% para empresas e 9,8% para famílias). Depois quedas em dois meses consecutivos, a taxa média de juros cobrada nas operações de crédito às empresas e às famílias subiu 0,6 ponto percentual em outubro e ficou em 18,7%, mas ainda abaixo dos níveis pré-pandemia. Com isso, o spread, diferença entre a taxa que os bancos pagam para captar recursos e a taxa cobrada em empréstimo, ficou em 14,6 pontos percentuais, elevação de 0,3 ponto. Desde o início da pandemia, os juros cobrados nas operações de crédito têm se reduzido. A taxa básica de juros (Selic), que norteia todas as outras taxas, está em 2% ao ano, menor patamar da história. Quando ela é reduzida, os bancos pagam menos para captar recursos e acabam emprestando mais barato. Além disso, a inadimplência alcançou seus menores níveis com o auxílio emergencial e com as prorrogações de parcelas, oferecidas pelos bancos em meio à crise para alívio do orçamento. Em outubro, a rubrica ficou estável, com 2,4%. Quando a inadimplência está baixa, os bancos cobram menos nos empréstimos porque o risco de calote é menor.

  • Canaltech

    Carros elétricos e híbridos podem impulsionar mercado brasileiro

    Com queda na produção interna por conta da pandemia da COVID-19, o mercado brasileiro encontra-se em um dilema quanto à retomada. Com a melhora da economia e a tendência global caminhando para a eletrificação, nosso país pode se beneficiar disso também

COMPARTILHE ESTA PÁGINA